Vendas globais de dispositivos de VR e AR batem marca de 100 milhões de unidades em 2021

InovaçãoInvestigação

O mercado global de dispositivos de realidade virtual (VR, na sigla em inglês) e realidade aumentada (AR, na sigla em inglês) irá bater a marca de 100 milhões de unidades vendidas em 2021, ou uma taxa de crescimento anual composta de 57,7%, de acordo com levantamento da IDC.

Em 2016, o número de unidades entregues ficou abaixo dos 10 milhões.

Headsets de realidade virtual foi a categoria que mais teve procura nos últimos anos, incluindo visores sem tela (que utilizam smartphones como acessório para funcionar) e também são os mais baratos disponíveis no mercado.

No segundo semestre de 2016, houve uma aceleração do volume de três produtos de dispositivos VR: o PlayStation VR da Sony, o HTC Vive e o Oculus Rift do Facebook.

Nos próximos 18 meses, a previsão é de que o mercado de dispositivos de realidade virtual cresçam ainda mais, já que fabricantes de PCs estão investindo no ramo, na opinião de Jitesh Ubrani, analista sênior de pesquisas para a IDC Mobile Device Trackers. “Com requisitos de hardware menores para PC e menores preços para headsets, a VR estará mais acessível que nunca. E a introdução do rastreamento adicional de rastreamento de movimentos e de mãos ajudará a misturar ainda mais a linha entre realidade digital e física “.

Em se tratando de dispositivos dedicados, a realidade aumentada continua um pouco atrás da realidade virtual. Não é que AR seja menos importante, mas ela é algo mais difícil de se conseguir.

A IDC acredita que os headsets VR continuarão a liderar em termos de volume ao longo da previsão, mas sustenta que a AR, em geral, causará um impacto muito maior no mercado global. Consumidores são muito propensos a ter sua primeira experiência AR através de um telefone celular ou tablet, em vez de um headset dedicado, e a recente introdução do ARKit da Apple confirma isso.

De acordo com a IDC, a maior oportunidade para headsets dedicados a AR está no segmento comercial. Há grande nível de interesse e de investimento em torno de mercados verticais, como cuidados com a saúde, manufatura, trabalhadores de campo e design.

Apoiar isso é ter uma ampla gama de produtos, alguns dos quais estão comercialmente disponíveis, mas a maioria é de nomes não familiares.

“Está muito claro para nós que a realidade aumentada é a maior das duas peças quando olhamos para AR e VR combinados”, disse Ryan Reith, vice-presidente de programa do Worldwide Quarterly Mobile Device Trackers da IDC. “Empresas como Microsoft, Epson, Intel , Meta, ODG e DAQRI já estão fornecendo dispositivos que estão sendo implantados em projetos comerciais em tempo real com ROI significativo. A lista vai muito além da de outras empresas que implantaram ou estão preparadas para implantação de dispositivos similares”, disse o especialista, complementando que muitos empregos industriais mudarão fundamentalmente devido à AR nos próximos 5 anos, e estes são mercados muito mais interessantes para headsets dedicados a AR do que o mercado consumidor.

“Esperamos que as remessas comerciais representem mais de 80% de todos os headsets AR vendidos nos próximos 5 anos”, encerra.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor