Provedores de internet pressionam Senado pela reforma trabalhista

GestãoLegislação

A Abranet (Associação Brasileira de Internet), a Abrint (Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações) e mais cinco sindicatos que representam os provedores de acesso à internet enviaram carta ao Senado pedindo aprovação do projeto de lei da reforma trabalhista (PLC 38/2017).

Na carta, as entidades dizem que o projeto aprovado na Câmara dos Deputados toca em pontos fundamentais para a geração de empregos formais, o aumento da segurança jurídica nas relações de trabalho e o fortalecimento das negociações entre empresas e empregados – fatores que já seriam suficientes para justificar a necessidade de sua aprovação imediata.

As entidades também destacam as mudanças no perfil do trabalhador na era digital, cujas atividades são centradas na criação de soluções para problemas e no desenvolvimento de novos mecanismos para facilitar a vida das pessoas, das empresas e das instituições.

Ainda de acordo com as organizações, os termos do PLC 38/2017 colocam o Brasil neste novo cenário, onde já se encontram várias das nações mais desenvolvidas, inovadoras e com economia sustentável.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor