Telefonia móvel recua 5% em maio, puxada por queda em linhas da Oi

4GMobilidadeOperadorasRedes

A telefonia móvel no Brasil encolheu 5,14% em maio comparado ao mesmo período do ano passado, totalizando 242,12 milhões de linhas ativas. O recuo foi puxado por uma queda de 12% da Oi, segundo dados da Anatel.

A operadora, que passa por um processo de recuperação judicial, registrou uma queda de 5,7 milhões de linhas móveis no período, fechando maio com pouco mais de 42 milhões — a quarta maior base do país.

A TIM, segunda maior operadora celular em número de linhas, e a Claro também tiveram recuos significativos, de mais de 6% cada, totalizando ao fim do mês 61 milhões e 60,2 milhões de acessos em operação, respectivamente. Já a líder Vivo foi na contramão das concorrentes e elevou sua base em 1,3%, fechando maio com 74,2 milhões de linhas móveis.

Os estados que apresentaram maior queda no número de linhas móveis em maio, quando comparado com abril deste ano, foram Rio Grande do Sul, com 76,89 mil (-0,54%), Ceará, com 48,22 mil (-0,50%), e Alagoas, com redução de 15,92 mil linhas (-0,48%). Já os estados com maior crescimento no número de linhas foram Mato Grosso, com aumento de 16,99 mil (+0,42%), seguido por Tocantins, com 6,16 mil (+0,35%) e Rondônia com 5,46 mil novas linhas (+0,27). Nos últimos 12 meses, todos os estados apresentaram retração no número de linhas móveis.

Apesar da queda generalizada, agravada por um tombo na banda larga 3G, as conexões em 4G mais do que dobraram no período, totalizando mais de 76 milhões na tecnologia LTE.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor