Lucro do Mercado Livre cai no 2º trimestre devido a custos no Brasil e México

E-commercee-Marketing

O Mercado Livre fechou o segundo trimestre com queda no lucro líquido em relação ao mesmo período de 2016, pressionado por maiores despesas nas operações do Brasil e México, que seguem atravessando forte crescimento de vendas.

O lucro líquido da empresa somou US$ 5,3 milhões, ante US$ 15,9 milhões um ano antes. A queda no resultado envolveu com aumento de 95% nos custos diretos no Brasil ano a ano, para cerca de US$ 120 milhões, enquanto no México essa linha passou de US$ 9,2 milhões para US$ 42,8 milhões.

Para o vice-presidente de operações do Mercado Livre, Stelleo Tolda, esse aumento é consequência de expansão de investimentos nos dois países, onde a empresa passou a oferecer atrativos de vendas que incluem opções de frete grátis para buscar atrair clientes do varejo físico para o digital.

De fato, o aumento no investimento têm dado frutos. No segundo trimestre, a receita em moedas locais como um todo cresceu 65% sobre um ano antes, sem ajustes pela inflação. No Brasil, onde a empresa compete com gigantes como a B2W e Via Varejo, o crescimento foi de 60% e no México houve expansão de 80%.

Ainda de acordo com os resultados, a receita total do Mercado Livre subiu 58,5% no período, para US$ 316,5 milhões. No Brasil, o faturamento foi de US$ 180 milhões, alta de 76% sobre um ano antes, enquanto no México a receita foi de cerca de US$ 20 milhões, com a mesma porcentagem de crescimento.

O Mercado Livre terminou junho com 191 milhões de usuários registrados, expansão de 20,6% sobre o mesmo período do ano passado. O volume de vendas brutas, ou GMV, indicador que mede vendas próprias de mercadorias e vendas de terceiros, cresceu quase 36%, para US$ 2,7 bilhões. Já o número de itens vendidos subiu 41%, para 61,5 milhões.

*Com informações da Reuters.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor