Gartner afirma que quase todos os programas terão IA até 2020

Inovação

A consultoria afirma que quase todos os programas terão Inteligência Artificial (IA) até ao final de 2020. A revelação é feita com base nas estratégias dos fornecedores de software, que estão introduzindo IA em seus produtos.

Em janeiro de 2016, o termo “Inteligência Artificial” não estava entre os 100 mais procurados no site do Gartner mas agora é o sétimo. Ora isso quer dizer que em cerca de um ano e meio, a tecnologia evoluiu bastante e se tornou central nas estratégias de negócios digitais. O Gartner prevê que, até 2020, IA será uma das cinco prioridades de investimento para mais de 30% dos CIOs.

“Conforme a Inteligência Artificial cresce nas pesquisas do Gartner no formato Hype Cycle, mais fornecedores de software ampliam sua participação para essa corrida”, diz Jim Hare, Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner.

“A Inteligência Artificial oferece possibilidades empolgantes, mas a maior parte dos fornecedores infelizmente está focada em simplesmente construir e vender um produto baseado em IA, em vez de primeiro identificar necessidades, usos potenciais e valor de negócio para os consumidores”, acrescenta o executivo.

Para explorar as oportunidades da IA, o Gartner aponta três questões-chave que provedores de tecnologia devem ter em atenção:

1) Ausência de diferenciação cria confusão e atrasa decisões de compra – O grande aumento de startups e fornecedores que dizem oferecer produtos com Inteligência Artificial sem nenhum diferencial real está confundindo os consumidores. Mais de mil vendedores com aplicações e plataformas descrevem a si mesmos como fornecedores de IA ou dizem que usam IA em seus produtos. Para construir uma relação de confiança com seus usuários finais, as organizações devem focar em construir um portfólio de estudos de caso com resultados quantificáveis usando Inteligência Artificial.

“Use o termo ‘IA’ com sabedoria em suas vendas e materiais de marketing. Seja claro sobre o que diferencia suas ofertas de Inteligência Artificial e que problemas elas resolvem”, completa Hare.

2) Recursos já testados e menos complexos de Aprendizado de Máquina podem cuidar de muitas necessidades do usuário final – Avanços em IA, como Aprendizagem Profunda (Deep Learning), criam muita expectativa, mas ofuscam o valor de abordagens mais diretas e testadas. O Gartner recomenda que fornecedores usem uma abordagem mais simples que consiga atingir o objetivo em vez de técnicas de Inteligência Artificial sofisticadas.

3) As organizações não têm as habilidades para avaliar, construir e implementar soluções de IA – Uma pesquisa exclusiva realizada pelo Gartner mostra que mais da metade dos entrevistados indica que a falta de habilidades necessárias na equipe foi o maior desafio para adotar a IA em suas organizações. A pesquisa constatou que as empresas estão atualmente procurando soluções de IA que possam melhorar a tomada de decisão e a automação do processo. Se tivessem escolha, muitas empresas comprariam soluções de IA já integradas em vez de tentarem construir uma solução customizada.

“Fornecedores de software precisam focar em oferecer soluções para problemas de negócios em vez de apenas tecnologia de ponta”, explica Vice-Presidente de Pesquisas do Gartner. 

O tema, que tem chamado cada vez mais a atenção das empresas, será discutido no Symposium/ITxpo 2017 que terá sua edição brasileira de 23 a 26 de outubro, no Sheraton São Paulo WTC Hotel.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor