Cabify vence pregão e assumirá frota de veículos do Estado

AppsMobilidade

Iniciativa prevê substituir ao todo 1.866 veículos, ou 25% da frota, representando economia de R$ 57 milhões anuais para o Governo do Estado. A Cabify apresentou a menor oferta, que foi de R$ 2,45 por quilômetro rodado, no pregão da Bolsa Eletrônica de Compras.

A avaliação tecnológica realizada pela Secretaria de Governo analisou acessibilidade, funcionalidade e requisitos de segurança para a homologação do serviço.

O Governo do Estado pretende reduzir das 7.375 unidades atuais para 5.509 unidades, ou 1.866 automóveis a menos. Desse total, 1.479 veículos serão leiloados, o que irá proporcionar uma economia de R$ 35,1 milhões em despesas com combustíveis e manutenção e mais R$ 11,3 milhões com a venda.

Adicionalmente, 443 veículos que estavam locados, já estão sendo devolvidos, o que gerando uma economia de R$ 29,5 milhões ao ano. A estimativa é de que esse esforço de redução da frota irá proporcionar uma redução de custos anual da ordem de R$ 57 milhões.

“Mais um passo hoje para termos mais eficiência no gasto público e fazer mais com menos dinheiro. Nós estamos promovendo um ajuste para economizar dinheiro público e realizar investimentos em saúde, escolas, segurança e nos temas que interessam à população”, explicou Alckmin durante o lançamento do edital, em setembro. “Com a redução do número de carros, mais o que será arrecadado com o leilão dos veículos, serão quase R$ 70 milhões de reais”, ressaltou o governador.

Inicialmente, o modelo será testado por quatro secretarias estaduais para substituir 86 veículos, com rodagem estimada em 438 mil quilômetros, para depois ser estendido a toda a administração estadual. O serviço deve estar disponível aos funcionários em até quatro semanas. 

As chefias de gabinete ficarão responsáveis por determinar os funcionários com necessidade de uso destes veículos, que atenderão por chamada realizada pelo aplicativo instalado em smartphones ou pela plataforma web. Por meio de usuário e senha, será possível chamar o serviço, que poderá sofrer penalidades financeiras em caso de atrasos recorrentes nos atendimentos.

 


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor