Executivos do Uber detidos na França devem ser julgados em setembro

AppsGestãoLegislaçãoMobilidade
Uber NV (5)

Os dois executivos do Uber detidos na França, já tem data para seu julgamento: dia 30 de setembro. A informação foi confirmada por um promotor público da justiça francesa.

As acusações que recaem sobre ambos ainda não foram oficialmente definidas pela procuradoria de Paris, mas as prisões são fruto de decisão tomada pelo governo do País, já que o Palácio do Élysée deseja intensificar a repressão ao serviço online de compartilhamento de corridas.

O gerente do Uber França, Thibaud Simphal e o gerente-geral do aplicativo para a Europa Ocidental, Pierre-Dimitri Gore-Coty, foram detidos no início da semana, como parte de uma investigação que em março levou uma equipe de buscas da polícia francesa aos escritórios do Uber em Paris.

A investigação foca em uma das diversas modalidades de produtos do Uber na França, o serviço UberPOP, que permite a passageiros agendar corridas com motoristas não profissionais via celular, o que enfureceu os taxistas.

O Uber tem gerado protestos de taxistas em várias capitais do mundo, como Londres, na Inglaterra, Bueno Aires, na Argentina, Nova Délhi e Mumbai, na Índia e Kuala Lumpur, capital da Malásia, enquanto altera os modelos de negócios tradicionais que requerem dos motoristas profissionais pagamento de altas taxas de licenciamento para operar táxis.

Na França, a polêmica se intensificou na semana passada quando motoristas bloquearam grandes centros de transporte para protestar contra o que chamam de competição desleal.