Digitalização do negócio obriga indústria financeira a se reinventar

GestãoNegócios

Os serviços financeiros estão se tornando “modulares”, com plataformas de distribuição digital, novos fornecedores de produtos, fontes alternativas de capital e uma crescente terceirização reformulando fundamentalmente a indústria. Isto está de acordo com os Serviços Financeiros Modulares: O Novo Perfil da Indústria, um novo relatório da consultora Oliver Wyman.

O estudo da Oliver Wyman estima que essa mudança poderia visualizar um milhão de milhões de dólares norte-americanos de receitas e custos transferidos em bancos e seguros, uma indústria que hoje representa 5,7 milhão de milhões de receitas. Novas plataformas de clientes poderiam captar 50-150 bilhões de receitas dos mercados bancários e securitários atualmente, equivalentes a vários eBays ou mais de 1 a 2% de receitas de bancos e seguros no momento.

“Serviços financeiros modulares estão emergindo a diferentes velocidades através dos mercados. Atualmente, serviços bancários nos EUA são mais modulares que na Europa e Ásia. Seguros de propriedades e contra sinistros estão se tornando mais modulares que os seguros de vida. Agora, a estrutura modular da indústria será mais profunda e irá se expandir a novos mercados,” disse Matt Austen, coautor em parceira com a Oliver Wyman. “Durante a crise, a maioria das empresas tem foco na otimização de seus modelos de negócios integrados e existentes. No momento, a indústria se move na direção de uma nova estrutura modular.

O relatório destaca que grandes empresas de serviços financeiros integrados ainda desfrutam de significativas vantagens competitivas – incluindo relacionamentos existentes com clientes, operações seguras em escala e satisfação dos requisitos de conformidade regulatória – estando ainda bem posicionadas para obter sucesso. Entretanto, qualquer infraestrutura dispendiosa e inflexível de património será insustentável e a concorrência irá forçar a uma significativa vistoria das plataformas de operação de incumbentes. O relatório estima que o alvo de poupar custos aos maiores bancos do mundo pode necessitar de cerca de de 340 bilhões de dólares. O custo de “renovar plataformas” dos maiores bancos do mundo é substancial, sendo potencialmente maior que quatro bilhões cada, maior que o dividendo anual médio pago pelos 100 maiores bancos universais de 1,7 bilhões.

“Mesmo se não esperássemos um setor de serviços financeiros totalmente modular, o modo como os clientes compram serviços financeiros e como as empresas prestam os mesmos está se transformado“, acrescentou Ted Moynihan, parceria de gestão da Oliver Wyman para Serviços Financeiros.


Click to read the authors bio  Click to hide the authors bio