BMW está trabalhando com solução de blockchain

Inovação

A fabricante BMW estará trabalhando com uma startup londrina para usar a tecnologia de blockchain para gravar as transações de cobalto.

A fabricante BMW estará trabalhando com uma startup londrina para usar a tecnologia de blockchain para gravar as transações para provar que as baterias para seus veículos elétricos conterão apenas cobalto limpo.

A concorrência está se intensificando para usar o blockchain, a tecnologia que sustenta as criptomoedas, como a Bitcoin e Ethereum, para tentar eliminar os minerais de bateria produzidos pelo trabalho infantil.

O cobalto está em foco porque cerca de dois terços dos suprimentos mundiais são da República Democrática do Congo, onde cerca de um quinto do cobalto é minado em minas artesanais não regulamentadas.

Uma organização iniciou um projeto para trabalhar com os mineiros artesanais para usar o blockchain para provar que não estão usando o trabalho infantil.

A startup Circulor está, no entanto, trabalhando em um piloto para a BMW para mapear cobalto que está supostamente limpo, porque ele vem de jurisdições como Austrália e Canadá ou da produção industrial no Congo, disse a Circulor. Um porta-voz da BMW disse que a empresa não iria comentar.

“Nós acreditamos que faz sentido econômico começar com fontes que não são um problema”, disse o CEO da Circulor Douglas Johnson-Poensgen à Reuters. “Uma vez que o sistema está comprovado e operando em escala, pode-se lidar com casos de uso mais difícil como minas artesanais”.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor