Unisys Stealth eleva segurança em equipamentos médicos

Inovação

A Unisys Corporation anunciou uma nova versão do seu premiado software de segurança Unisys Stealth, com atualização compatível com dispositivos da IoT.

A Unisys Corporation anunciou uma nova versão do seu premiado software de segurança Unisys Stealth, com atualização compatível com dispositivos da Internet das Coisas (IoT) e outros equipamentos conectados, como máquinas de monitoramento médico, leitores de bagagem, sistemas de controle industrial e câmeras de vigilância.

A segurança por microssegmentação do Stealth agora abrange dispositivos IoT, isolando-os de segmentos não confiáveis dentro de uma rede protegida, evitando invasões e adulteração remota. Também protege a rede corporativa contra possíveis violações iniciadas por equipamentos sem segurança. Ao fazer parte da ambiente seguro definido pelo Stealth, dispositivos de alto valor ficam protegidos contra acesso não autorizado, reduzindo a superfície de ataque.

Esse novo recurso pode ser fornecido como um gateway virtual ou físico que protege os equipamentos onde o Stealth não pode ser instalado e sem necessidade de alterações de hardware ou software.

“A nova versão do Stealth estende o poder da microssegmentação a dispositivos e dados anteriormente vulneráveis a ataques e acessos não autorizados”, comenta Tarek El-Sadany, vice-presidente sênior e diretor de tecnologia da Unisys. “Em uma organização da área de saúde, por exemplo, o Stealth pode prevenir e conter acesso não autorizado a dispositivos médicos e dados de pacientes, possibilitando o fluxo de informações seguro em tempo real, desde os equipamentos até os sistemas de registros eletrônicos, reduzindo os custos de conformidade com controles flexíveis de segurança”, completa.

De acordo com o Gartner, “dispositivos médicos antigos que não foram concebidos para serem acessados pela Internet estão agora sendo conectados à rede como parte das iniciativas de saúde, elevando os riscos e a superfície de ataque”. O Gartner recomenda que as organizações “criem proativamente zonas de segmentação para os dispositivos médicos conectados” e reconhece a microssegmetação como uma das “principais tecnologias para segurança da informação”.

Como qualquer outro sistema conectado, os dispositivos IoT, como monitores de saúde, são vulneráveis a ataques cibernéticos. Além disso, plataformas operacionais proprietárias e regulamentações setoriais, muitas vezes, proíbem atualizações dos dispositivos, limitando as organizações aos recursos de segurança vindos do fabricante. Esses equipamentos de uso específico precisam ser capazes de ampliar a segurança além dos controles estáticos de fábrica para acompanhar a rápida evolução de ameaças sofisticadas que surgem diariamente. O Stealth agora estende o poder da segurança por microssegmentação a esses dispositivos.

Read also :