Envios de iPhones na China caem 35% em novembro, diz Credit Suisse

Mobilidade

 Os envios de iPhones da Apple na China caíram mais de 35% em novembro, marcando seu segundo declínio seguido de dois dígitos, já que as vendas da versão mais barata do iPhone 11 continuam lentas, disse o Credit Suisse nesta quinta-feira.

O total de envios de iPhones na China no período de setembro a novembro caiu 7,4% em relação ao ano anterior, disse Matthew Cabral, analista do Credit Suisse, citando dados do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China.

Cabral também escreveu que a Apple enfrentará dificuldades para aumentar os preços relacionados às tarifas para o consumidor norte-americano, se as tarifas de 15% sobre bilhões de bens de consumo fabricados na China entrarem em vigor em 15 de dezembro.

A Apple pediu ao governo Trump que renuncie à cobrança de impostos sobre Apple Watches, peças do iPhone e outros produtos fabricados na China. O presidente Donald Trump disse no mês passado que estava considerando o pedido.

A participação de mercado da Apple na China caiu de 7% para 5%, no terceiro trimestre, enquanto a Huawei conseguiu um recorde de 42% do mercado de smartphones da China no mesmo período, de acordo com um relatório da empresa de pesquisa de mercado Canalys divulgado em outubro.

No último quarto trimestre, a Apple registrou uma queda de 2,4% nas vendas na China.