Arquiled firma protocolos com a Faculdade de Engenharia de Sorocaba no Brasil e com o ISEL em Portugal

Negócios

Os protocolos conjuntos de cooperação técnico científica com as duas escolas de ensino superior, especializadas em Engenharia, vai permitir evoluir em soluções de iluminação pública e outras tecnologias urbanas.

No âmbito da especialização em soluções de iluminação pública, o grupo português Arquiled (constituído pelas empresas Arquiled e Bright Science) assina protocolo internacional com o Centro Universitário brasileiro FACENS com o objetivo de promover o estudo e desenvolvimento de soluções e tecnologias no âmbito da iluminação, telecomunicações e internet das coisas entre outras. A operacionalização de um Laboratório Vivo de IoT no Smart Campus de Sorocaba é o primeiro passo desta colaboração.

Pela primeira vez, duas entidades oriundas de países diferentes vão trabalhar verdadeiramente em conjunto no laboratório vivo de Internet das Coisas do centro universitário, o que irá permitir, por exemplo, a deteção sonora e subsónica bem como monitorizar o contador de água, entre outras tecnologias.

O protocolo inclui ainda o intercâmbio de alunos da FACENS que terão a oportunidade de efetuar estágios na Arquiled, empresa portuguesa dedicada ao fabrico e integração de soluções de iluminação, smart cities e outras tecnologias urbanas com engenharia e investigação própria.

Em paralelo, o protocolo assinado com o ISEL, assenta na cooperação técnico científica entre as duas entidades focada em soluções e tecnologias aplicadas às cidades inteligentes, telecomunicações e internet das coisas. Mais uma vez a Arquiled fará a operacionalização de um Laboratório Vivo de IoT, assente no desenvolvimento e monitorização de acústica e comunicações.

Significa isto que o protocolo será tripartido entre o grupo Arquiled, Centro Universitário brasileiro FACENS e o Instituto Superior de Engenharia de Lisboa. Esta parceria entre as duas universidades com a empresa portuguesa irá potenciar o conhecimento e o desenvolvimento de novas soluções em iluminação pública quer no mercado nacional, quer internacional.

Miguel Allen Lima, CEO da Arquiled, considera que “esta sinergia entre as universidades e a empresa trará benefícios para a sociedade no que diz respeito à criação de novas soluções de smart cities em iluminação pública e vários outros serviços. A inovação tecnológica é uma das prioridades da Arquiled e o apoio da comunidade científica é dos principais vetores para o atingimento deste objetivo”

Também Paulo Carvalho, reitor do Centro Universitário FACENS, olha para esta protocolo como uma “excelente oportunidade para a universidade e para os seus alunos que irão integrar um centro de investigação de grande qualidade como é a Arquiled”.

Por seu lado, Jorge Sousa, presidente do ISEL, está convicto de que “este tipo de ligação de aprofundamento de sinergias é fundamental para atingir objetivos comuns das diferentes entidades em prol do desenvolvimento de uma sociedade que, cada vez mais, está atenta às diferentes soluções que surgem no âmbito das cidades inteligentes”.

De referir que a Arquiled tem vindo a desenvolver o conceito de smart cities, que assenta em pilares como a sustentabilidade, a segurança, a eficiência energética, a inteligência e a conetividade. Para além do desenvolvimento de projetos pioneiros em Portugal, a empresa tem vindo a apostar na sua internacionalização com o investimento em países como a Colômbia, o Brasil e Espanha.