Governo retoma Programa Brasil Mais

ProjetosSetor Público

O objetivo é conseguir de ampliar a produtividade de empresas brasileiras por via da capacitação para melhorar a gestão e apoiar a adoção de tecnologias digitais.

O Ministério da Economia, por meio da Secretaria Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec), – em parceria com o Sebrae, o Senai e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) – retoma as ações do Programa Brasil Mais, lançado em fevereiro deste ano e interrompido pela Covid-19.

O programa tem o objetivo de contribuir com a elevação do nível de produtividade e competitividade das empresas brasileiras em um cenário de transformação digital. A iniciativa está voltada especialmente aos pequenos negócios e empresas de médio porte, dos setores da indústria, comércio e serviços. A meta é atender cerca de 120 mil empresas até dezembro de 2022.

O Brasil Mais terá ações em dois eixos principais: melhores práticas produtivas (disponível para a indústria), e melhores práticas gerenciais (disponível para empresas de todos os setores, desde que sejam de micro ou de pequeno porte). 

Ao se cadastrar no programa, a empresa escolhe em qual dos eixos tem interesse em ser atendida, responde a um questionário de autodiagnóstico para avaliar o seu grau de maturidade de produção ou gestão e é encaminhada para o atendimento, assistido por um dos parceiros do programa: Sebrae ou Senai.

O Sebrae promoverá o aperfeiçoamento das habilidades e práticas gerenciais das micro e pequenas empresas de todos os setores da economia envolvidos no programa, por meio da oferta de orientação técnica para inovação em temas gerenciais prioritários para cada empresa. Para isso, a instituição vai envolver 1 mil Agentes Locais de Inovação (ALI).

já o Senai irá ofertar serviços de melhoria da produtividade industrial, aplicando conceitos de manufatura enxuta, por meio da Mentoria Lean; e de digitalização da produção, por meio da Mentoria Digital, inserindo as empresas atendidas no rumo da quarta revolução industrial.

Para tanto, serão envolvidos mais de 1,3 mil especialistas em todos os departamentos regionais do Senai. Com a aplicação dessas técnicas, planeja-se um ganho médio de 20% de produtividade do trabalho, nas linhas de fabricação que receberem o serviço.