Usuários estão trocando WhatsApp por outras redes

Empresas

Dezenas de milhões de pessoas baixaram nos últimos dias as aplicações das plataformas Signal e Telegram, concorrentes da WhatsApp.

Está sendo cista como uma espécie de resposta à imposição da partilha de dados com outras empresas do Facebook, anunciada pela WhatsApp no início deste mês.

Apesar de se manter a expectativa de perceber se a fuga de utilizadores se virá a espelhar no WhatsApp, a verdade é que os números são já bem reais.

O Signal adicionou cerca de 1,3 milhões de utilizadores num só dia, quando teve, em 2020, uma média de 50 mil downloads diários.

A escolha foi tão grande que a resposta aos pedidos de adesão passou de poucos minutos para várias horas.

O aumento da utilização levou mesmo à quebra de serviço da plataforma durante várias horas.

Por seu lado, o Telegram anunciou um aumento de mais de 25 milhões de utilizadores em três dias, ultrapassando a marca de 500 milhões de subscritores.

Um deles pode ter sido o Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador. Também no Twitter, domingo dia 10, Obrador mencionou o seu novo grupo no Telegram.

O WhatsApp ainda tentou deter a migração em massa, garantindo que os conteúdos das mensagens entre usuários se vão manter privados e já no dia 15 de janeiro anunciou o aumento de prazo para concordar com novos termos, por três meses.