Finance View traça panorama transformador e dinâmico do Mundo Open

Inovação

Tendências, desafios e novas oportunidades de negócios que já existem e estão se transformando cada vez mais foram debatidos por experts em tecnologia e finanças.

O uso de novas tecnologias e soluções na jornada financeira já é uma realidade que proporciona novos negócios e muda a forma como as pessoas consomem, mas ainda há muito por vir em termos de conveniência, praticidade, agilidade, assertividade e colaboração, além de oportunidades revolucionárias de transações e novos produtos.

Esse novo mundo foi apresentado durante a Finance View, evento 100% online organizado pelo Idea D.

Entre os destaques estão o painel “Pagamento – A capacidade de inovação e aceleração das iniciativas digitais para pagamentos fluídos e sem fricção”, os painelistas abordaram de que forma o Open Banking deve agregar ainda mais aos meios de pagamento e de que forma isso será feito. Elaine Shimoda, Head de Inovação em Pagamento do Mercado Pago, destacou que 40% das compras transacionadas via companhia já são pagas com sistema de cartão de aproximação, assim como o uso de pagamento por aplicativo de celular já está em franco crescimento.

“A nova fronteira do Open Banking muda a forma como os pagamentos vão acontecer e farão uma revolução no mercado, mudando a experiência do cliente”, disse.

De acordo com Thiago Saldanha, CTO da Sinqia, o Open Banking começou por uma iniciativa regulatória e de padronização, mas será uma grande oportunidade para todos os bancos terem novos clientes, novos serviços personalizados, abrindo muitas possibilidades. “O novo ambiente do Open Banking retira a fricção das formas de pagamento. É como uma rodovia que será aberta para a criação de novos produtos, transações e aplicativos que serão cada vez mais frequentes no dia a dia”, afirmou.

“É uma concorrência saudável para o ecossistema e o trabalho é feito em conjunto: sobre quaisquer ameaças sofridas pelos novos modelos podemos atuar como parceiros porque temos know how de uma indústria tradicional para aportar valor nas transações”, destacou Edson Ortega, vice-presidente de Risco da Visa do Brasil.

Com devices na palma da mão para resolver praticamente todas as questões da vida, os consumidores também querem praticidade e segurança para as compras e o tema foi analisado no Painel “Embedded Finance – Varejo e a oferta de serviços financeiros personalizados que fidelizam clientes e promovem inclusão digital”.

No painel “Open Innovation – Como construir e inovar de forma coletiva e colaborativa no mercado financeiro”, Claudia Ferris, investidora e mentora na BBX, comentou como empresas mais tradicionais podem se atualizar por meio de parcerias com startups e que precisam estar abertas às mudanças que não param.

José Martinez Calasans, líder da Vertical Fintech no Cubo do Itaú, explicou que a inovação aberta foi bastante pivotada durante a pandemia por toda a necessidade do cenário que se apresentou e  Juliana Innecco, Head do Torq e Lead do Torq Ventures, referiu que o momento é de grande aprendizado para todos os envolvidos. 

Classificado como uma nova era para todo o mercado financeiro, o Open Banking foi o tema do Painel “Open Banking – Abrindo as fronteiras dos serviços financeiros para novas experiências e melhores ofertas”.

Read also :