Trabalho remoto é passaporte para equilíbrio profissional

Gestão
0 0 Sem Comentários

Pesquisa realizada pela Regus, empresa global de soluções flexíveis de espaços de trabalho, mostra que a crescente necessidade de melhorar a qualidade de vida do colaborador é um dos fatores decisivos para o aumento da flexibilidade no trabalho.

O levantamento contou com a opinião de mais de 44 mil executivos baseados em mais de cem países diferentes e mostrou que para 62% dos respondentes brasileiros, o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é um dos motivadores para o aumento na demanda por trabalho flexível.

Outro dado identificado pelo estudo da Regus é que as companhias que desejam tornar-se mais ágeis e capazes de lidar com a rápida evolução das condições de mercado podem estar no caminho para essa tendência.

Entre os trabalhadores brasileiros, 50% enxergam a possibilidade de trabalhar perto de casa como ponto-chave de motivação para que essa modalidade de trabalho cresça nas estatísticas. Ainda, para 42% dos respondentes no Brasil, o custo cada vez mais alto do deslocamento de casa para o trabalho configura-se também como um dos pontos para crescimento da tendência para o trabalho flexível.

“Essa pesquisa confirma que o trabalho remoto aumenta a eficiência e reduz os custos, visto que os negócios podem diminuir gastos com espaços de escritório pouco utilizados e operar de forma mais ágil, auxiliando em uma tomada de decisões focada nas necessidades reais’’, afirma Dante Rightetto, diretor da Regus no Brasil.

“Mesmo que os motivadores para o trabalho remoto sejam diferentes para as empresas e empregados, ambos têm a ganhar. O fato que as empresas já estejam se beneficiando dessa tendência para aumentar a sua agilidade é uma boa notícia. Além disso, ajudar os colaboradores a encontrar um equilíbrio mais satisfatório entre a vida pessoal e profissional cria uma força de trabalho mais saudável e produtiva “, conclui Righetto.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor