Sua empresa já se adaptou ao SAT Fiscal?

LegalRegulação

O SAT Fiscal tornou-se um dos principais assuntos sobre a modernização da estrutura de tributos no Brasil. O aparelho passou a ser obrigatório em janeiro de 2017 para empresas contribuintes que tiveram receita bruta superior a R$ 81.000,00 no ano de 2016.

É uma aposta da Secretaria da Fazenda do estado de São Paulo para modernizar o processo de fiscalização e auditoria tributária dos contribuintes. O novo método de entrega de dados fiscais, a Sefaz-SP, é um modulo que combina hardware e software e pode fazer toda transmissão de informações em tempo real para o órgão fiscalizatório. Com o advento do SAT foi decretado o fim das impressoras fiscais, encerrando uma série de processos analógicos como consulta de memória fiscal e lacre dessas impressoras, modernizando todo o processo.

O novo sistema de transmissão é composto por um pequeno aparelho que conecta o PDV do usuário com a central de dados do Sefaz, transmitindo todos os dados fiscais da venda diretamente para o órgão estadual. Os cupons fiscais agora ficam a cargo de uma impressora não fiscal (mais barata que o modelo anterior) acoplada ao aparelho, emitindo o documento para o consumidor final.

Pelo lado da Sefaz-Sp são nítidos os ganhos operacionais, como maior poder fiscalizatório, mais precisão das informações fiscais apresentadas e rapidez nos processos. Para as empresas contribuintes, o novo sistema de emissão de informações pode ajudar em: redução no custo com impressoras fiscais, facilidade na transmissão de dados e redução de possíveis erros fiscais.

As principais marcas do mercado são Bematech, Gertec, Nitere, Elgin, e os preços desta nova tecnologia fiscal variam entre R$850,00 a R$1.000,00.

“O desafio inicial foi parametrizar os sistemas de frente de caixa e sistema fiscal a esse novo aparelho e software que o acompanha. Feito essa parte mais técnica o cliente tem algumas opções de hardware que fazem essa transmissão para o Sefaz-SP”, explica Willi Pádua, especialista de produtos da Seal Store, uma das lojas que vende os novos dispositivos.

Como já é obrigatória, a alteração se faz necessária o mais rápido possível. No entanto, diferentemente de outras mudanças tributárias, o SAT não deve gerar um custo tão alto para os contribuintes.