Efeito Elon Musk? Twitter demite chefões e para de contratar

Dois funcionários de alto escalão foram demitidos do Twitter. Eles eram os chefes responsáveis pelas áreas de consumo e receitas. A empresa também anunciou uma pausa nas contratações e uma revisão nas vagas em aberto.

publicidade
Twitter
Imagem: Souvik Banerjee on Unsplash

O Twitter divulgou as informações na última quarta-feira (11). O chefe da divisão de consumo do Twitter, Kayvon Beykpour, que está na empresa há 7 anos, publicou um tweet confirmando sua demissão e alegando que está de licença paternidade. Ele usou a rede social para confirmar a saída da companhia.

“Esta não é a forma nem o momento que eu pensei em deixar o Twitter, e esta não foi uma decisão minha. Parag Agrawal, CEO do Twitter. me pediu para sair depois de me informar que ele quer levar a equipe em uma direção diferente”, publicou Beykpour.

publicidade

Bruce Falck, chefe da divisão de receita, que ficou na empresa por 5 anos, também postou em sua rede social sobre a demissão e agradeceu aos colegas pela parceria: “Conseguimos alcançar os resultados que obtivemos através do seu trabalho árduo – a receita trimestral não mente. Procure no Google”, escreveu Falck.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Em seguida ele postou outro tweet que foi apagado rapidamente: “Me inspirando no meu bom amigo Kayvon Beykpour, vou esclarecer que também fui demitido por Parag Agrawal”. Beykpour e Falck haviam assumido seus cargos no início de 2022.

Twitter afirma que a empresa não atingiu as metas esperadas

Parag Agrawall emitiu um comunicado para os funcionários informando que a companhia não obteve as metas de crescimento que eram esperadas e nem a receita que foi estabelecida em 2020.

publicidade

Segundo ele, o objetivo era alcançar US$ 7,5 bilhões em receita anual e 315 milhões de usuários diários até o final de 2023. O Twitter concluiu o ano com a receita anual de US$ 5 bilhões e 217 milhões de usuários diários.

Depois que bilionário Elon Musk comprou a companhia, as mudanças que o Twitter irá sofrer internamente e para os usuários certamente serão frequentes. Em abril, a empresa afirmou que seu conselho de administração aceitou uma oferta de US$ 44 bilhões feita pelo empresário.

Embora ainda a negociação está sendo aprovada por órgãos e acionistas, a meta é que ainda em 2022 tudo já esteja concluído com êxito. As últimas informações é que o empresário havia suspendido a compra da rede social de US$ 44 bilhões.

“O negócio com o Twitter está temporariamente suspenso a espera de detalhes pendentes que suportam o cálculo de que as contas de spam/falsificações realmente representam menos de 5% dos usuários”, publicou Musk.

publicidade

 

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar