Guedes se retrata após fala sobre iPhones no Brasil

O ministro da economia, Paulo Guedes veio a público dar explicações sobre sua fala onde diz que no Brasil temos mais iPhones do que pessoas. O comentário aconteceu durante um evento de agronegócios. Agora, o integrante do governo Bolsonaro se retratou e disse que, na verdade, ele queria dizer que cada brasileiro possui, em média, mais de um dispositivo celular.

publicidade
Guedes e Bolsonaro
Guedes faz declaração polêmica sobre digitalização no Brasil (Imagem: Reprodução / @paulo_guedes.oficial via Instagram)

A correção veio em decorrência a uma fala na última sexta-feira (11), quando o ministro falou que a pandemia auxiliou na aceleração da digitalização econômica e de hábitos.

“O nosso presidente já era um presidente digital. Já somos o quarto maior mercado digital do mundo. Tem mais iPhones no Brasil do que população. Os brasileiros têm um, dois iPhones, às vezes”, comentou Guedes na ocasião.

publicidade

Paulo Guedes se retratou, mas o problema pode ir mais fundo do que uma simples “gafe”

A fala do ministro desconsidera completamente a situação dos menos favorecidos do país, pessoas que muitas vezes nem tem acesso à internet, que dirá a possibilidade de ter mais de um aparelho celular. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Além disso, ao falar que a pandemia acelerou os processos digitais, o ministro fez parecer que a situação gerada pelo Covid-19 teve mais benefícios do que malefícios.

Deve-se lembrar, entretanto, dos inúmeros problemas das classes mais econômicas do Brasil que sofreram de fome com as altas dos preços – fora as inúmeras casualidades do próprio vírus.

publicidade

Da última vez eu dei uma escorregada. Eu quis falar o seguinte: cada brasileiro tem dois dispositivos digitais, tem dois celulares, pode ter até dois celulares, aí saiu iPhone. Sem querer, em vez de falar ‘celular’, saiu ‘iPhone’”, explicou Guedes, numa tentativa se reparar.

Outras gafes do ministro

Paulo Guedes aproveitou o momento para também se retratar de uma outra gafe que havia cometido momentos antes, ao comentar a Guerra na Ucrânia. “Se vier a Segunda Guerra Mundial, estamos prontos de novo. Vamos expandir de novo, porque estamos com déficit zerado”, argumentou.

A fala soou meio estranha e o próprio chefe da economia brasileira percebeu, dizendo que quando falou “Segunda Guerra Mundial” não se referia ao evento ocorrido entre os anos de 1939 e 1945. Nas palavras confusas do ministro, ele disse considerar a pandemia de coronavírus como a Primeira Guerra.

Não estou falando de segunda guerra mundial. Deu uma guerra, que foi essa pandemia, guerra sanitária mundial. Agora tem uma segunda, Ucrânia, Rússia. Isso subiu preço de combustíveis, fertilizantes, isso nos atinge (…) Quis dizer: se houver essa guerra do petróleo, essa guerra dos grãos, vamos estar preparados para reagir”, completou Guedes.

publicidade

De qualquer maneira, as gafes do ministro Paulo Guedes, principalmente sobre a questão do iPhone, parecem demonstrar que no atual governo se tem uma ideia meio equivocada da situação social do país.

Mesmo se desconsiderarmos o “iPhone”, colocando “smartphone” no lugar, o número de pessoas que ainda não tem acesso à esses dispositivos é imenso. O problema ficou evidente, aliás, quando escolas tiveram que parar as aulas completamente porque vários de seus alunos não possuíam meios para participar das aulas online.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar