Guerra na Ucrânia: Twitter suspende publicidade na Rússia

 

publicidade
Twitter suspende publicidade na Rússia
Imagem: Pixabay

O Twitter Inc. comunicou que foi suspensa toda a publicidade, tanto na Rússia, quanto na Ucrânia, sendo o principal objetivo garantir que os anúncios não atrapalhem as mensagens de segurança pública na plataforma. 

Desde a última quinta-feira (24), quando a guerra começou, a rede social optou por ser cuidadosa – uma vez que é difícil separar as fake news das notícias verdadeiras.

publicidade

Além de não exibir anúncios nos países, o Twitter limitará as recomendações de tweets de contas que usuários não seguem em seu feed de notícias. A medida serve para limitar a divulgação de conteúdo enganoso e abusivo. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

“Acreditamos que as pessoas devem ter acesso livre e aberto à internet, o que é particularmente importante em tempos de crise”, publicou a conta de políticas públicas do Twitter.

A empresa já havia dito anteriormente que estava “monitorando narrativas emergentes de violações das regras do Twitter” como parte de seus esforços para combater conteúdo falsos e sensacionalistas que invadiram a rede desde que a guerra começou.

publicidade

Além do Twitter, Facebook também toma atitude

Enquanto isso, a Meta também vem monitorando a comunicação de postagens vindas de origem russa. Tanto que o governo russo comunicou que o uso do Facebook seria parcialmente restringido no país.

A equipe do presidente Vladimir Putin acusou a rede social de Mark Zuckerberg de “censurar” os meios de comunicação estatais russos. 

Nick Clegg, chefe de assuntos globais da Meta, criticou a atitude em uma postagem no Twitter:

“Ontem, as autoridades russas ordenaram que parássemos com a verificação independente de fatos e a rotulagem de conteúdo postado no Facebook por quatro organizações de mídia estatais russas. Nós recusamos. Como resultado, eles anunciaram que restringirão o uso de nossos serviços”, escreveu.

publicidade

Vale lembrar que a Meta é alvo de uma grande investigação sobre lidar com desinformação. De acordo com a empresa, qualquer conteúdo que ela considere falso ou parcialmente falso aparece menos no feed.

Clegg disse que “os russos comuns usam os aplicativos da Meta para se expressar e se organizar para a ação” e a empresa quer que eles continuem a fazê-lo. Não há informações no momento sobre quais tipo de restrição a Rússia irá impor ao Facebook.

Esta não é a primeira punição que Meta recebe do governo russo, uma vez que rotineiramente é multada por não excluir conteúdo considerado ilegal com a rapidez exigida.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar