governo norte-americano

Microsoft avança contra governo dos EUA em caso de privacidade de emails

Se os Estados Unidos saírem vitoriosos da batalha legal que travam contra a Microsoft, as consequências internacionais podem ser perigosas. Caso seja decretado como legítimo que as autoridades norte-americanas possam exigir que uma empresa doméstica entregue, perante ordem judicial, emails armazenados em servidores no estrangeiro, a própria soberania dos Estados pode estar em xeque.

Americanos querem tecnologias digitais para se comunicar com governos locais

A Salesforce, referência em soluções de gestão de relacionamento com clientes (CRM), divulgou um estudo, conduzido pela Harris Poll em maio com 3075 adultos em 15 das principais cidades dos EUA. O relatório identificou que os moradores dos EUA querem usar tecnologias digitais como aplicativos de dispositivos móveis, websites e mídias sociais para se comunicar com seus governos locais sobre problemas envolvendo serviços, transporte público, segurança, uso de energia e outras preocupações cívicas.

Apps sem desempenho custam ao governo dos EUA US$ 1 milhão por hora

A Riverbed Technology, fornecedora de soluções de infraestrutura para desempenho de aplicações, divulgou o resultado de um estudo desenvolvido pela Market Connections sobre os recursos gastos pelos decisores de TI dos órgãos federais dos Estados Unidos para resolver problemas de performance de aplicações. Líderes de instâncias federais do país foram entrevistados e eles indicaram que

Gigantes notificarão usuários em caso de investigação governamental

Apple, Microsoft e Google anunciaram que informarão seus usuários caso alguma informação seja requisitada por autoridades governamentais. A decisão engloba registros de e-mail e outros dados online que possam ser exigidos por autoridades públicas. A decisão não foi vista com muita simpatia pelas autoridades norte-americanas. O Departamento de Justiça norte-americano afirma que, ao notificar os

Obama garante que NSA deixará de gravar registros telefônicos

O presidente norte-americano Barack Obama declarou que seu governo não armazenará dados telefônicos em massa pela Agência de Segurança Nacional (NSA). Segundo ele, o objetivo é diminuir as preocupações dos cidadãos, sem afetar a luta contra o terrorismo. Segundo ele, está em preparação uma proposta para acabar com a guarda sistemática de dados sobre os

Facebook fecha o cerco contra venda de armas

O Facebook anunciou que barrará qualquer mensagem que ofereça armas para venda e compra sem a verificação de antecedentes criminais. A decisão também afeta a rede de compartilhamento de fotos Instagram. Em um esforço para conter o uso crescente das redes sociais para contornar verificações acerca da venda de armas de fogo, segundo afirmam defensores