Startup brasileira cria primeira plataforma de realidade virtual do mundo

InovaçãoNegóciosStartup
1 4 Sem Comentários

Uma plataforma de conteúdo que reúna entretenimento, games, educação e e-commerce em um só ambiente virtual, essa é a proposta da startup brasileira Youfacer. O projeto em desenvolvimento pretende revolucionar a forma de interação homem/PC. Segundo a empresa, é a primeira plataforma de realidade virtual do mundo.

Navegar no Facebook, assistir a um vídeo 360 graus do Youtube, estudar ou fazer compras em um shopping virtual são algumas das opções disponíveis na Youfacer. A plataforma da startup será disponibilizada para PC, Web, Android e iOS e será compatível com os principais dispositivos do mercado como Oculus Rift, HTC Vive, Samsung Gear VR e Google Cardboard.

A plataforma está prevista para ser lançada em 2017, e traz experiências que tornem o uso dos dispositivos de realidade virtual, algo comum no dia a dia das pessoas, como o uso de smartphones.

Felipe Coimbra, diretor da startup Youfacer, justifica o investimento em um dispositivo de realidade virtual (VR, na sigla em inglês). ‘’Iremos resolver o problema do acesso a conteúdo VR, o maior desafio é tornar a experiência de realidade virtual algo comum em nosso cotidiano e isso temos conseguido após muitos testes de usabilidade da interface Youfacer’’, destaca.

Utilizando a plataforma também será possível ter experiências como participar de eventos como shows, esportes em 360 graus, jogar games em realidade virtual, fazer compras em supermercados ou reservas de hotéis como se estivessem no local, tudo por meio de VR.

Além disso, a plataforma também oferecerá aos seus usuários um assistente virtual, o “Steve”, que acompanhará o cliente em toda a experiência na plataforma, conversando com o usuário e realizando tarefas por comandos de voz. Até o ano de 2025, mais de 327 milhões de pessoas utilizaram ferramentas e dispositivos de realidade virtual em seu cotidiano. Esse mercado estima faturar mais de US$ 17 bilhões em todo o mundo, segundo levantamento da Goldman Sachs Global Investment Research.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor