Activision Blizzard é novamente acusada de assédio e discriminação

A Activision Blizzard foi mais uma vez acusada de assédio e outras coisas. Agora, o tribunal superior do condado de Los Angeles foi o responsável por abrir o processo em nome de uma funcionária da empresa sobre um amontoado de casos relacionados não só a assédio sexual, mas também a discriminação.

publicidade
(Imagem: Divulgação / Activision)

A funcionária da Blizzard, apresentada com o nome fictício de Jane Doe, fala abertamente das experiências medonhas que viveu na empresa onde começou a trabalhar como assistente administrativa sênior, dando suporte para executivos no departamento de tecnologia da Activision Blizzard, em 2017.

Activision Blizzard foi acusada de assédio, além de outros abusos

Ela relata a constante pressão que sofria para beber bebidas alcoólicas no trabalho e sobre os vários comentários constrangedores que eram feitos sobre sua aparência e roupa. Além disso, a vítima diz que já foi alvo de contato físico e que até tentaram beijá-la.

publicidade

Mas os abusos não paravam por aí. Segundo Jane, ela era constantemente forçada a ficar em pequenos espaços nos escritórios da empresa onde além de receber comentários.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Ao procurar ajuda, Jane foi basicamente ignorada

O processo menciona cinco funcionários da empresa, que falaram para Jane que ela deveria se calar antes que algum tipo de dano fosse causado à companhia. Isso porque ela teria se queixado sobre a forma como vinha sendo tratada, principalmente sobre as investidas sexuais e a bebedeira à qual era submetida. Na ocasião, disseram a ela que aquela era apenas a maneira dos líderes mostrarem serem amigáveis.

Jane passou a se vestir de forma bem mais conservadoras e passou a evitar jantares com colegas e líderes fora do local de trabalho, mas ela alega que, após as queixas, o ambiente de trabalho se tornou bem hostil. Ela começou a sofrer perseguições, não sendo aceita em diversas vagas quando tentou sair do departamento.

publicidade

Nem o presidente da Blizzard ajudou Jane

Doe também menciona uma vez em que fez uma queixa escrita relatando os abusos que sofria. A queixa foi entregue a Allen J. Brack, na época o presidente da Blizzard, que em resposta lhe ofereceu uma posição em outro departamento onde o salário era bem inferior.

Cansada dos abusos e da discriminação, que só pioraram após ela reclamar, Jane agora procura compensação monetária, que Bobby Kotick seja demitido e que seja implementado um departamento de recursos humanos que consiga resolver os problemas dos funcionários sem ficar preso embaixo da gestão da companhia.

Infelizmente, esse é um quadro bem comum hoje em dia. Na verdade, sempre foi, mas finalmente os funcionários e funcionárias que sofrem alguma categoria de abuso em seu ambiente de trabalho estão começando a revidar.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar