Água-viva alienígena assassina pode estar te esperando em lua de Júpiter

A água-viva costumeiramente vista em alguns oceanos podem ter ultrapassado as barreiras e conquistando ares extraterrestres. Medusas alienígenas assassinas podem estar à espreita na lua de Júpiter.

publicidade
Água-viva alienígena assassina em lua de Júpiter
Água-viva alienígena assassina em lua de Júpiter. (Imagem: Pixabay)

Mas calma! Não é a mesma água-viva que estamos acostumados a ver. Na realidade, nem teria como, diante das condições de sobrevivência completamente distintas. A denominação foi apenas reutilizada para caracterizar a descoberta desses seres estranhos e que podem ser mais mortais do que aqueles presentes na Terra.

Porém, a descoberta feita por especialistas apontam que a lua de Júpiter possui as condições de sobrevivência perfeitas para abrigar os temíveis ferrões flutuantes.

publicidade

Os estudiosos de “cortantes” recém-formados na Groelândia, encontraram os chamativos “cumes duplos” que possuem cerca de um mil pés de altura e 800 metros de distância. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Esses seres foram fotografados pela primeira vez em oceanos gelados da Europa pela espaçonave Galileo, na década de 1990. Até então, era um verdadeiro mistério como eles se formavam, até que os novos cientistas viram esta evolução de perto na região noroeste da Groelândia. A descoberta foi possível logo que o gelo se rompeu em volta de um bolsão de água pressurizada. 

Além do novo espécime de água-viva, a Groelândia é famosa por possuir um solo fértil para a reprodução de lesmas, caracóis e camarões.

publicidade

Na Europa, os pesquisadores locais alegam que o profundo e salgado oceano em meio ao gelo e cercado por atividades químicas de países vizinhos do espaço sideral, possuem uma capacidade de abundância semelhante.

O que dizem os especialistas sobre a nova água-viva?

De acordo com o professor da Universidade de Stanford, Dustin Schroeder, a proximidade com a superfície, local apto para a manutenção de substâncias químicas interessantes do espaço, de outras luas e vulcões, existe a possibilidade de que a vida tenha uma chance na hipótese de existência de bolsões de água na casca. 

Ele ainda completou que “se o mecanismo que vemos na Groelândia é como essas coisas acontecem na Europa, isso sugere que há água em todos os lugares”.

Vale pontuar que a descoberta dessa água-viva alienígena foi acidental, ocorrendo enquanto os pesquisadores estudavam as mudanças climáticas.

publicidade

Neste sentido, Riley Culberg, estudante de doutorado em Stanford, disse que o novo espécime tende a expandir as possibilidades de descoberta, tornando-as muito mais emocionantes. 

Conheça a lua de Júpiter

Não confunda a Europa mencionada acima com o continente, neste cenário, trata-se da denominação da lua de Júpiter, onde os cientistas descobriram a água-viva alienígena em meio a estudos e observações.

Esta lua contém uma gelada concha que pode ser habitada por vida extraterrestre, tendo em vista que abriga os ingredientes essenciais, como água, química e energia.

Entretanto, a lua de Júpiter está cercada por uma camada de gelo de 20 a 30 km de espessura, impedindo a análise adequada por parte dos pesquisadores.

Ainda assim, a vasta cobertura de gelo de Europa tem sido considerada habitável considerando a interessante característica de cumes duplos que possui.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar