Bactérias do lixo alimentar estão sendo usadas para fabricar algo incrível

A startup Polybion, situada no México, faz estudos constantes visando aprimorar a eficácia de unidades de reciclagem e produção de materiais naturais, as bactérias

publicidade
Startup usa bactérias de resíduos alimentares na fabricação de couro
Startup usa bactérias de resíduos alimentares na fabricação de couro. (Imagem: Divulgação/Polybon)

A inteligência desenvolvida pela empresa já permite, por exemplo, a criação de couro mediante o uso de bactérias presidentes em resíduos alimentares.

Uso de bactérias na reciclagem

Em um um mundo onde a infraestrutura de reciclagem industrial está cada vez mais fragmentada e escassa perante o fornecimento circular de materiais, uma solução oriunda da natureza e que seja capaz de sanar este problema é muito bem-vinda. 

publicidade

As bactérias são uma espécie em abundância, além de serem os organismos mais simples da Terra, evoluindo por 3,5 bilhões de anos, além de sobreviver às extinções em massa e mudanças ambientais extremas no decorrer do tempo. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Todos estes fatores a tornaram altamente eficazes na condução de reações bioquímicas em simbiose com a natureza. Essas reações incluem o metabolismo de resíduos gerando a construção de novos organismos, o principal, sem a necessidade de recorrer a uma infraestrutura industrial. 

Por que usar bactérias?

A escolha pelo uso das bactérias para viabilizar este tipo de tecnologia está relacionada à simplicidade enquanto microrganismos unicelulares, capazes de torná-las potências microscópicas que produzem substâncias extremamente úteis, como a celulose, durante os processos metabólicos naturais. 

publicidade

Por esta razão, a Polybion, cuja sede se encontra em Guanajuato, se aproveita desta condição para incluir uma camada de bioengenharia e reestruturar os códigos e genes das bactérias. Este foi o meio encontrado para organizar saídas metabólicas precisas e criar o que é chamado de biomateriais. 

O primeiro passo consiste na membrana da celulose, transformada em uma espécie de pele pelas bactérias. É justamente esta pelo que, quando estruturada corretamente, pode ser usada como uma alternativa para o couro, chamada de Celium.  

No que compete exclusivamente às alternativas ao couro, o Mycelium, costumeiramente cultivado através de fungos, se tornou um organismo bastante atrativo.

Ele, inclusive, já foi descoberto e tem sido usado por marcas como Allbirds, que atua mediante o uso de materiais baseados em plantas, como o Mirum da NFW. E não é apenas ela, a Hermes trabalha com o Fine Mycelium da Mycoworks. 

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Veja mais ›
Fechar