Bitcoin tem maior queda nos últimos 3 meses: veja a cotação hoje para Dólar

Na primeira semana do ano, o Bitcoin seguiu recuando para o nível mais baixo desde sua hash rate repentina em dezembro à medida que as expectativas crescem sobre o aumento de taxas de empréstimos.

publicidade

Desde 2019 a criptomoeda subiu mais de 500% seguindo as medidas de estímulo postas em prática durante a pandemia de Covid-19.

Bitcoin tem maior queda nos últimos 3 meses: veja a cotação hoje para Dólar
Imagens: Pexels

O Bitcoin atingiu um recorde de quase US$69.000 no início de novembro, depois que os EUA permitiram o funcionamento de fundos negociados em bolsa com base em futuros da criptomoeda.

publicidade

As recentes oscilações nas criptomoedas ocorrem em meio a um período volátil para os mercados financeiros. O aumento da inflação está forçando os bancos centrais (Federal Reserve) a apertar a política monetária e a colocar taxas sobre ativos (incluindo o Bitcoin).

A partir de sexta-feira, dia 7, a moeda despencou cerca de 5% e chegou a valer menos de US$41 mil (R$234 mil) momentaneamente.

Em uma reunião da Fed realizada em dezembro foi sugerido que o aumento dos juros ocorra antes do previsto, levando investigadores a procurar algo mais estável para investir o seu dinheiro.

Queda do Bitcoin faz “Baleias” comprar R$1,25 bi na cripto moeda

Enquanto alguns temem a crise com a queda do Bitcoin, outros aproveitaram-na para investir na criptomoedas como fizeram algumas carteiras de Bitcoin comprando 5.322 unidades do ativo digital, equivalentes a 1,25 bilhão de reais.

publicidade

Segundo informação divulgada pelo chinês Colin Wu, especialista em criptomoedas e blockchain, com base no site BitInfoCharts. Segundo os dados da plataforma, o 32º maior endereço de bitcoin do mundo adicionou 3.000 unidades do ativo à sua carteira, enquanto o 33º comprou outros 1.455 bitcoin e o terceiro maior investidor comprou mais 867 bitcoins.

As “baleias”, como são chamados os grandes investidores de criptomoedas, acreditam numa reversão~, mas o fato é que não é uma unanimidade entre elas. O dono da 35ª maior carteira de bitcoin do mundo vendeu 4.250 bitcoins, equivalentes a 177 milhões de dólares.

Leia mais: Bitcoin terá em breve atualização revolucionária: veja AQUI

Crise no Cazaquistão faz Bitcoin sofrer queda na hash rate

O Cazaquistão desativou a internet no país na quarta-feira (5) devido aos protestos da população por causa do aumento no preço dos combustíveis e a consequência foi que a maior criptomoeda do mundo viu uma queda em mais de 13% na hash rate.

publicidade

Com a saída das criptomoedas da China depois do banimento e a transferência para o Cazaquistão foi uma opção econômica devido ao gás e o carvão serão baratos, mas com a decisão do governo de cortar a internet, causando mais insatisfação na população, alguns já acreditam que o país não vai mais ser um destino atrativo.

A decisão do governo também atingiu também outras criptomoedas, como o Ethereum, que caiu 2,3%, e o Solana, com queda ainda maior nesta sexta-feira, de 4,7%.

O país fica localizado entre a Rússia e a China, e faz fronteira com outros três países. Tornou-se independente da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) em 1991.

Com os atuais protestos da população, o Banco Central do país suspendeu atividades do sistema financeiro e redes de telefone também estão funcionando mal.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar