Cientistas fazem grande descoberta associando alteração do DNA ao câncer

Um recente estudo publicado na Cell Reports indica que o DNA alterado é capaz de aumentar os riscos de câncer na humanidade. A constatação foi feita após cientistas do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, nos Estados Unidos da América (EUA), compararem uma série de genes humanos e primatas, considerando que a doença é bastante comum em ambos. 

publicidade
DNA alterado aumenta riscos de câncer
DNA alterado aumenta riscos de câncer. (Imagem: Pixabay)

Desta forma, descobriu-se que a espécie humana sofreu uma mutação de gene denominado de BRCA2, diretamente envolvido na regeneração do DNA. Esta mudança teve influência na redução em 20% na capacidade de reparação do DNA se comparado às demais versões primatas do gene. Acredita-se que justamente esta mutação é capaz de explicar as taxas elevadas de câncer. 

Este ponto respalda uma série de outras pesquisas que apontavam pessoas com determinadas variantes do BRCA2 com maior risco de câncer de mama ou ovário. Portanto, nota-se que o gene se sobressai em mulheres. Até então, autores envolvidos no estudo ainda não chegaram a uma resposta capaz de explicar tal evolução, tornando o gene menos ativo em humanos do que em primatas.

publicidade

Também é importante ter em mente que, uma das possibilidades é que a atividade reduzida de BRCA2 tenha feito uma seleção natural em humanos visando aumentar a fertilidade. A intenção dos pesquisadores é a de que o aprofundamento no tema possa auxiliar futuras pesquisas a desenvolver tratamentos inovadores contra o câncer. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Um exemplo neste sentido é a equipe da Cambridge University Hospitals, no Reino Unido, que conseguiu mapear o genoma dos tumores em, aproximadamente, 12 mil pessoas. O resultado foi a descoberta de outros padrões genéticos do câncer. 

Comportamento das células do câncer

O câncer é causado por alterações da estrutura genética (DNA) das células, as chamadas mutações. Cada célula sadia possui instruções de como devem proceder, ou seja, como crescer e se dividir, o período de funcionamento e de sua morte. Na presença de qualquer erro nestas instruções pode surgir uma célula alterada que venha a se tornar cancerosa.

publicidade
  • Multiplicam-se de maneira desordenada e descontrolada, ou seja elas se dividem mais rapidamente do que as células normais do tecido à sua volta, e o crescimento celular torna-se contínuo. O excesso de células vai invadindo progressivamente todo o organismo, adoecendo todo o corpo. Geralmente, têm capacidade para formar novos vasos sanguíneos que as nutrirão e manterão as atividades de crescimento descontrolado;
  • O acúmulo dessas células desordenadas dá origem aos tumores malignos;
  • As células possuem a capacidade de se desprender do tumor e de se deslocar. Invadem inicialmente os tecidos vizinhos, podendo chegar ao interior de um vaso sanguíneo ou linfático e, através desses, disseminar-se, chegando a órgãos distantes do local onde o tumor se iniciou, formando o que chamamos de metástase. Dependendo do tipo da célula do tumor, alguns dão metástases mais rápido e mais precocemente, outros o fazem bem lentamente ou até não o fazem;
  • As células cancerosas são, geralmente, menos especializadas nas suas funções do que as suas correspondentes normais. Conforme as células cancerosas vão substituindo as normais, os tecidos invadidos vão perdendo suas funções. Por exemplo, a invasão dos pulmões gera alterações respiratórias, a invasão do cérebro pode gerar, alterações neurológicas, etc.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar