Dona do Facebook tem plano ambicioso para o metaverso brasileiro

A Meta, dona do Facebook, se uniu a 4 organizações brasileiras para construir novo padrões de construção para universo virtual e serão investidos US$ 50 milhões em pesquisas e projetos.

publicidade
Logo estilizada Facebook e Meta (Imagem: Dima Solomin/Unsplash)
O Meta é a empresa que controla a rede social Facebook (Imagem: Dima Solomin/Unsplash)

A novidade foi anunciada na última quarta-feira (18) e diversas parcerias com organizações de vários lugares do mundo serão formadas incluindo padrões de segurança para o metaverso. Entre as dez companhias envolvidas no projeto, quatro são brasileiras.

 “O metaverso é um conjunto de espaços virtuais que podem ser criados e explorados por pessoas que não estão num mesmo espaço físico. Neles, é possível estar com amigos, trabalhar, jogar, aprender, comprar, criar e muito mais”, declara a Meta.

publicidade

Segundo a empresa dona do Facebook, os investimentos previstos somam um total de US$ 50 milhões no período de dois anos, informação que já havia sido divulgada no ano passado. A Meta esclareceu também que o intuito é estimular pesquisas externas programas que favoreçam a expansão do metaverso.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Confira as novas parcerias da Meta

Essas são as novas empresas envolvidas no projeto:

  • Instituto de Tecnologia de Sociedade do Rio: a empresa brasileira vai criar uma equipe com especialistas para identificar oportunidades e desafios do metaverso no Brasil e América Latina;
  • Instituto de Referência em Internet e Sociedade: ficará responsável por estudar a privacidade e proteção de dados em tecnologias imersivas no contexto das políticas e assuntos governamentais;
  • Safernet: irá promover eventos e hackathons para o diálogo sobre crianças e mulheres e experiências de realidade virtual e aumentada;
  • Instituto de Pesquisa em Direito e Tecnologia do Recife: irá averiguar políticas públicas nacionais que envolvam à realidade virtual e aumentada;
  • C-Minds Eon Resilience Lab (México): responsável pela parte de  economia, privacidade e segurança, gênero e governança no metaverso;
  • Fundación Universidad de San Andres (Argentina): identificará oportunidades e desafios éticos no metaverso, com foco em abordagens legais e regulatórias;
  • Jobs for the Future (Estados Unidos): analisará como realidade aumentada e virtual podem ajudar pequenas e médias empresas para trabalhos nos Estados Unidos;
  • Chuo University (Japão): pesquisará sobre melhorias no ensino e na aprendizagem de línguas estrangeiras;
  • Projeto Rockit (Austrália): investigará as perspectivas dos jovens sobre realidade virtual e aumentada e segurança nesses ambientes;
  • Australian National University (Austrália): explorará a estrutura do metaverso considerando elementos sociais, culturais, regulatórios e ambientais.
publicidade

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar