Drone de companhia elétrica é derrubado a tiros na região de Curitiba

Muitas situações inusitadas acontecem em todo Brasil diariamente. A última delas com ocorreu um drone da companhia elétrica Copel, que foi derrubado a tiros na cidade de Campina Grande do Sul, região metropolitana de Curitiba. O aparelho estava sobrevoando a local para uma inspeção de rotina da rede elétrica quando a ação aconteceu.

publicidade
Drone da Copel são identificados com a cor laranja, mas característica pode variar em outros estados (Imagem: Divulgação/Copel)
Drones da Copel (Imagem: Divulgação/Copel)

Ainda não se sabe quem foi o responsável por efetuar o disparo que derrubou o drone, muito menos as motivações para tal ato. Por isso, a equipe responsável pelo equipamento registraram um boletim de ocorrência nas delegacias locais. Assim, uma investigação já foi iniciada para avaliar o caso.

Por meio de uma nota oficial, a empresa confirmou que os seus drones e os planos de voo para realização das inspeções, são liberados pelo DCEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) do Ministério da Defesa, que é o órgão responsável pelas leis que regulamentam esse tipo de operação.

publicidade

A Copel também informou que esse tipo de inspeção com o uso de drones são rotineiras por parte da empresa, ainda mais em locais que possuem um difícil acesso ou seja isolados.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Segundo o comunicado, os trabalhos de avaliação, que poderiam demorar em torno de dez horas pelo solo, duram uma média de três horas com o uso dos drones áreos. Por fim, a empresa ainda salientou que possui a segunda maior frota de drones do país.

Drone desconhecido está na sua área, o que fazer?

Em comunicado feito no ano passado, a Copel informou que seus drones são sempre identificáveis ​​devido a sua cor laranja. No entanto, empresas de energia de outros estados podem ter padrões diferentes para seus equipamentos, então é preciso ficar atento.

publicidade

Se um drone não identificado estiver pairando sobre uma propriedade privada específica, pode ser solicitada assistência da polícia local, especialmente se o voo tiver evidências de espionagem ou outro propósito criminal. Outra solução é entrar em contato com a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) pelo telefone 163 – ela poderá identificar o responsável pelo equipamento e impor as punições cabíveis.

A auto-remoção do drone não é permitida em nenhuma circunstância, pois isso caracteriza dano ao patrimonio alheio e poderia ter consequências criminais. A captura do objeto por parte dos proprietários das terras ou da residência também não é legal, pois pode ser considerada roubo.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar