Empresas chinesas podem ser punidas por big techs; entenda

Gina Raimondo, secretária do Comércio dos Estados Unidos, afirmou que as empresas chinesas que não respeitarem as sanções americanas contra a Rússia deixarão de receber equipamentos e software americanos em retaliação. 

publicidade
Empresas chinesas podem ser punidas por não respeitar embargo contra Rússia
Casa branca ameaça empresas chinesas (Imagem: Tabrez Syed
| Unsplash)

A série de sanções que os EUA emitiram contra a Rússia incluem a proibição de exportação de semicondutores e produtos de alta tecnologia.

A questão é que as medidas não valem apenas para empresas americanas e sim todas que utilizam softwares e produtos feitos nos EUA. 

publicidade

União Europeia, Austrália e Japão, apoiaram as medidas que também se aplicam à Bielorrússia, aliada de Vladimir Putin. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Por outro lado, a China ignora tais medidas e continua a exportar chips para os russos. Só que, para produzi-los, o país depende de materiais americanos – o que os deixam nas mãos do governo americano. 

Gina garante que o governo Biden vai “fechar” as empresas que não respeitarem o embargo.

publicidade

“Nós podemos fechar a SMIC (empresa chinesa) para impedirmos que ela use nossos equipamentos e softwares”, afirmou a secretária de Comércio.

No início da semana, Joe Biden determinou que os EUA parem de importar petróleo russo fazendo com que o preço do barril disparasse.

Empresas chinesas podem ser punidas por não respeitar embargo contra Rússia
Imagem: Adam Schultz | White House

Na quarta-feira (9), a Câmara dos Representantes dos EUA aprovou um projeto de lei destinando US$14 bilhões em ajuda humanitária, econômica e militar à Ucrânia. 

publicidade

O texto agora segue para votação no Senado.

Empresas chinesas são defendidas no país contra ameaça

Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, disse que Pequim “tomará todas as medidas necessárias para salvaguardar resolutamente os direitos e interesses legítimos das empresas e indivíduos chineses”.

“A China protegerá suas empresas e seus cidadãos que estão sob ameaça de sanções dos Estados Unidos por manterem comércio com a Rússia”, disse porta-voz chinês sobre as ameaças de Washington para a Bloomberg.

O diplomata reafirmou as críticas, afirmando que elas não tem poder no direito internacional e só causam “sérias dificuldades para a economia e o sustento das pessoas” em nações-alvo, em vez de promover a paz e a segurança.

“Washington deve levar a sério as preocupações da China ao implementar suas restrições contra a Rússia para que elas não prejudiquem os direitos e interesses da China de forma alguma”, alertou Zhao.

Companhias estrangeiras que utilizam software e tecnologias americanas na produção fazem parte das nações aliadas – como a Coreia do Sul, que deseja exportar para a Rússia, precisa de permissões especiais de Washington.

A China recusa-se a condenar a Rússia por invadir a Ucrânia, concordando com a avaliação do país presidido por Vladimir Putin  de que a expansão da OTAN no Leste Europeu e seu fracasso em lidar com a segurança nacional da Rússia abriram o caminho para a situação atual.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar