Sentir o som: deficientes auditivos curtirão festival com tecnologia

Pessoas com deficiência auditiva estão cada vez mais perto de sentir a música, literalmente. Os que testaram a ferramenta e participavam de um festival musical conseguiram “sentir o som” graças à tecnologia inovadora.

publicidade
Foto: Pexels

Sentindo o som

Esta novidade poderá dar vida ao ritmo para milhares de outras pessoas. Kyle Springate, de Hackney, foi o primeiro a usar um acessório háptico de última geração no festival Mighty Hoopla no Brockwell Park, em Londres.

Os trajes permitem que os usuários sintam a música através de feedback multissensorial, entregue por vibrações em 24 pontos de contato nos pulsos, tornozelos e tronco.

publicidade

Usando a tecnologia de machine learning Vodafone 5G, o traje consegue capturar e transmitir a atmosfera da multidão, bem como a música, dando aos fãs com deficiência auditiva a capacidade de se sentirem mais próximos do público e da performance.

Música não só para os ouvidos

Além disso, eventos, festivais, shows e outras amostragens culturais estão cada vez mais inclusivas. Outras empresas, caso da The Sound Shirt, vêm pensando nessa inclusão há algum tempo também. Kyle afirma:

“Foi uma experiência realmente surreal. Você podia sentir as palmas no final do set.”

O jovem é a única pessoa com deficiência auditiva em sua família e aprendeu a leitura labial para entender o que estava acontecendo ao seu redor.

publicidade

Querendo estar mais próximo dos amigos e participar de momentos que envolvem música, ter um terno tátil o ajudou a estar presente e aproveitar melhor.

“Tem muita gente que ficou isolada e o mundo muda com a tecnologia”, acrescentou Kyle.

Um mundo mais inclusivo

Com as tecnologias avançando e mudando, é justo que pessoas com deficiência sejam cada vez mais incluídas. Segundo a Organização Mundial da Saúde, existem cerca de 500 milhões de pessoas com deficiência auditiva no mundo todo.

Só no Brasil, 5% da população tem deficiência auditiva e boa parte se comunica pela Língua Brasileira de Sinais (Libras).

publicidade

A promessa do traje “háptil” é que ainda mais pessoas tenham acesso e possam aproveitar melhor os momentos sociais,  além da questão importante da inclusão.

A representante da Vodafone, Maria Koutsoudakis, disse que a empresa está “absolutamente encantada” por poder proporcionar a sensação de realmente sentir a música aos deficientes auditivos.

“A música é para todos e, como marca, estamos comprometidos em tornar a experiência do festival o mais aberta e acessível possível, para que todos possam sair e se divertir”, afirma Maria Koutsoudakis.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar