Eleições limpas em 2022: veja como o TSE se diz pronto para combater hackers e proteger a democracia

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) vem implementando muitas medidas de segurança para que as eleições deste ano ocorram de forma segura e democrática.

publicidade
Urna eletrônica é segura e protegida pelo TSE. (Imagens: TSE)

Medidas de segurança

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi alertado por grupo técnico dedicado à segurança da informação que há a possibilidade de tentativas de ataques hackers às vésperas das eleições de outubro de 2022.

Por conta de novas ameaças ao pleito, o TSE vem implementando medidas de segurança em Brasília e também nos tribunais regionais.

publicidade

Em um relatório interno da Corte Eleitoral, ao qual o Estadão teve acesso, o TSE não descarta a possibilidade de se tornar alvo de ataques hackers no período eleitoral, como aconteceu com o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) durante uma semana em 2020.

Neste ataque ao STJ, a Corte foi alvo de “ransomware”, um crime cibernético considerado sofisticado para roubar dados, que só são devolvidos mediante pagamento de resgate.

Durante esse período fora do ar, funcionários e ministros não conseguiram acessar e-mails e arquivos, fazendo com que o andamento dos processos fosse prejudicado.

O relatório em questão diz:

publicidade

“Pensemos num ataque de ransomware, às vésperas do pleito de 2022, em que todos os computadores da Justiça Eleitoral amanheçam criptografados, apresentando uma mensagem em sua tela de pedido de resgate para a liberação de seus conteúdos.”

E ainda traz que, mesmo sendo uma situação extrema, é perfeitamente possível que ocorra caso os tribunais eleitorais não se preparem corretamente.

Fraudes eleitorais, TSE não combate sozinho

O relatório traz a preocupação geral do TSE com o pleito deste ano e a preocupação em proteger o sistema democrático de direito.

O documento afirma:

publicidade

“Ocorrências como essas colocariam em xeque todo o sistema eleitoral e até mesmo a estabilidade do regime democrático de direito, catalisando as forças contrárias aos princípios democráticos que existem em nossa sociedade”.

O TSE vem se preocupando com as ameaças feitas contra o sistema eleitoral brasileiro e adotando medidas de proteção contra notícias falsas sobre as eleições.

O Twitter adicionou uma aba específica para as eleições em que as notícias de cunho falso ou duvidoso estarão sinalizadas.

Além disso, essa é uma parceria do TSE com a plataforma com o foco de tirar dúvidas dos internautas e fazer com que as eleições em outubro deste ano sejam ainda mais seguras, pacíficas e respaldadas.

Outra medida tomada ainda na semana, foi a assinatura do acordo de procedimento para a realização da Missão de Observação Eleitoral (MOE) internacional da União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore) nas Eleições Gerais 2022.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar