Entenda como a Shopee pode virar concorrente do Nubank

A empresa responsável pela Shopee no Brasil, a SHPP, acabou de receber uma autorização do Banco Central para desempenhar funções específicas de instituições de pagamento enquanto emissor de moeda eletrônica. A medida informada através do Diário Oficial na última segunda-feira (2), fará com que a empresa se torne concorrente do Nubank e outras instituições do tipo.

publicidade
concorrente do Nubank
Shopee pode entrar no ramo de pagamentos online (Imagem: rupixen.com on Unsplash)

A Shopee se categoriza como um marketplace, um local onde produtos são vendidos e comprados, e não faz a venda direta de produtos, como no caso da Amazon. A empresa surgiu em 2015, na Ásia, e hoje concorre diretamente com nomes grandes do e-commerce, como Aliexpress e Wish.

A plataforma de e-commerce vem ganhando cada vez mais espaço em seu segmento, enquanto oferta produtos com bons preços, frete grátis, cupons de desconto e vários outros benefícios que a destacam da concorrência.

publicidade

Vai virar mesmo uma concorrente do Nubank?

Nada foi divulgado pela empresa a respeito desse assunto em específico, mas a permissão que lhe foi concedida a deixa em um local único de possibilidades. Podendo, inclusive, trabalhar para expandir seus próprios negócios de venda com mais opções de pagamento.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Agora, além de ter uma forte representatividade no mundo do e-commerce, a Shopee pode então expandir sua área de atuação começando a trabalhar com o mercado financeiro. No momento, suas opções nesse meio ainda são limitadas, mas é algo que pode mudar com o tempo.

De acordo com o regulamento do próprio BC, o aval garante a Shopee a capacidade de gerenciar conta de pagamento do tipo pré-paga, na qual os recursos devem ser depositados previamente.

publicidade

Shopee enfrenta impasse no Brasil

A notícia vem em meio ao caos e incertezas estabelecidos na empresa, e em outras como ela, após uma ideia do governo Bolsonaro, onde estava sendo cogitado uma medida provisória para implementar uma taxação extra sobre produtos importados por pessoas físicas (maior parte dos usuários da plataforma).

A empresa se defendeu alegando ser uma empresa brasileira, já que tem toda uma estrutura montada localmente, que faz inclusive  a ponte entre consumidores e vários empreendedores no país. Outra coisa mencionada pela empresa foi de que ela não passa de um marketplace e não faz a venda direta de produtos.

A Shopee tem CNPJ desde 2019. Nossa sede está na cidade de São Paulo, onde pagamos impostos, não fomos buscar uma cidade mais barata no entorno”, disse Felipe Piringer, o diretor de marketing e estratégia da Shopee.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Veja mais ›
Fechar