Ex-traficante tenta ganhar dinheiro com criptomoedas e se dá mal

No início dessa semana, as autoridades da Polícia Militar (PM) fizeram a prisão de um homem acusado de vender equipamento de mineração de criptomoedas roubado. O rapaz de 21 anos foi preso em Jataí, cidade do interior de Goiás, após o 15º Batalhão da Polícia Militar de Goiás receber denúncias de que ele estava vendendo produtos de “origem duvidosa”.

publicidade
quipamentos de mineração de criptomoedas roubados
Vendedor de equipamentos de mineração de criptomoedas roubados vai preso em Goiás (Imagem: Divulgação / Polícia Militar de Goiás)

A mineração de criptomoedas vem chamando muita atenção nos últimos tempos. A atividade pode não só gerar uma renda extra como pode também se tornar a fonte principal de renda, a depender do que é minerado e da alta e baixa do mercado.

Equipamento de mineração de criptomoedas roubado era anunciado ao céu aberto

O homem anunciava os itens diretamente nas redes sociais e até em estabelecimentos comerciais da cidade, o que resultou em um operação realizada nesta segunda-feira (14), com o intuito de apreender a mercadoria roubada e realizar a prisão do suspeito.

publicidade

Ao ser abordado durante um patrulhamento da polícia no centro da cidade o rapaz não só confessou o crime como ainda levou a polícia até os itens roubados.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Em poder do infrator da lei foram apreendidos equipamentos eletrônicos furtados, equipamentos estes que são utilizados na mineração de criptomoedas e avaliados em aproximadamente R$ 60 mil”, informou a PM-GO.

O jovem já possuía passagem na polícia por tráfico e receptação de drogas e foi levado diretamente à delegacia de polícia de Jataí para providências cabíveis.

publicidade

Crimes envolvendo criptomoedas

Pelas fotos dá para identificar várias placas de vídeo, bem básicas, que seriam utilizadas na mineração de criptomoedas como ETH (Ethereum), diferente de BTC (Bitcoin), a criptomoeda mais importante do mundo no cenário atual, que exige equipamentos mais robustos e especializados em sua mineração.

Esse não é o primeiro caso de polícia envolvendo criptomoedas no estado de Goiás. Recentemente alguns agentes da Polícia Civil foram para o xilindró após terem a brilhante ideia de realizar um sequestro e pedir como resgate valores em Bitcoin.

Segundo apontou as investigações, o alvo do sequestro era um chefe de uma pirâmide financeira, considerada crime, que ostentava uma vida de luxo nas redes sociais.

Isso mostra o quão é perigoso sair por aí espalhando que trabalha com criptomoedas, onde tanto o hardware utilizado na mineração quanto o conteúdo de carteiras digitais podem ser facilmente levados, deixando o prejuízo, ou até algum dano físico / psicológico, nas suas mãos.

publicidade

E você, está seguro neste mercado digital?

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar