Existem menos vagas de emprego tecnológico que antes! Microsoft também “segura as pontas”

A empresa Microsoft tem repensado futuras contratações para grupos de software de bate-papo e conferência do Windows, Office e Teams. A decisão é consequência de diversos fatores, incluindo os atuais conflitos da Europa.

publicidade
Fachada de prédio da Microsoft (Imagem: Matthew Manuel/Unsplash)
(Imagem: Matthew Manuel/Unsplash)

Com os impactos na economia global, a companhia não mantém o ritmo de contratações de pessoal, movimento relatado pela Bloomberg, a aplicação da estratégia já está em vigor há um mês

Em um recente comunicado, a empresa explicou que “à medida que a Microsoft se prepara para o novo ano fiscal, está garantindo que os recursos certos estejam alinhados com a oportunidade certa. A Microsoft continuará a aumentar o número de funcionários no próximo ano e adicionará foco adicional para onde esses recursos vão”.

publicidade

Como prova disso vem a queda das ações da Microsoft, que de janeiro até a data desta segunda-feira (27) caíram em média de US$ 337 por ação, segundo dados da Markets Insider.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Além da Microsoft, outras empresas sofrem os impactos e reduzem contratações

A Microsoft não é a única que paralisou as contratações. A fabricante de software e placas gráficas Nvidia — divulgou na última quarta-feira (22), durante uma teleconferência:

“Estamos desacelerando por enquanto para integrar esses novos funcionários e concentrar nosso orçamento em cuidar dos funcionários existentes enquanto a inflação persistir”, explicou a empresa.

publicidade

Na lista também inclui Lyft, Snap, Uber, Meta, Salesforce e Coinbase, também tomaram as mesmas medidas de paralisação de contratação devido os efeitos econômicos e da guerra.

Segundo dados do Bureau of Labor Statistics (BLS), dos Estados Unidos, o número de vagas de emprego que estava em alta, de 11,5 milhões no final de março. Em cada um dos últimos seis meses, mais de 4 milhões de pessoas ficaram desempregadas.

Essa queda afeta altamente o setor tecnológico, como nos Estados Unidos em que a taxa de desemprego gira em torno de 3,6%, para o setor de tecnologia é de 2%, conforme a CompTIA, uma associação sem fins lucrativos para o setor de TI e força de trabalho.

Esses impactos levam os empregadores do país a reverem as qualificações e como buscam esses profissionais. Já na Microsoft, as novas contratações devem ser aprovadas pelo vice-presidente executivo Rajesh Jha e sua equipe de liderança.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Veja mais ›
Fechar