Facebook teria manobrado para “queimar” imagem do TikTok

A Meta, proprietária de redes sociais como o Facebook, Messenger, Instagram e WhatsApp, tem investido fortemente em uma campanha anti-TikTok. A informação compõe o recente relatório do The Washington Post, publicado na última quarta-feira (30).

publicidade
Facebook financiou campanha anti-TikTok
Facebook financiou campanha anti-TikTok. (Imagem: Pixabay)

Na prática, o Facebook paga periodicamente uma proeminente empresa de consultoria para desenvolver uma campanha a nível nacional cujo propósito é gerar a desconfiança do principal concorrente da plataforma, o TikTok. Essa consultora é a Targeted Victory, que supostamente divulgou artigos de opinião e enviou cartas para os editores dos principais jornais locais e regionais de todo o país.

Em comunicado à equipe, um diretor da Targetec Victory declarou que a empresa precisava “passar a mensagem de que, embora o Meta (Facebook) seja o saco de pancadas atual, o TikTok é a verdadeira ameaça, especialmente como um aplicativo de propriedade estrangeira que é o número 1 no compartilhamento de dados que os jovens adolescentes estão usando”, declarou o representante da empresa. 

publicidade

A declaração foi obtida pelo The Post após o jornal ter acesso aos e-mails internos da consultora. A investida do Facebook foi levada ao conhecimento público apenas algumas semanas após a informação de que, pela primeira vez em 18 anos de história, a empresa começou a perder um número considerável de usuários. A queda notada no relatório no final de 2021 foi de 500 mil contas a menos.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Enquanto isso, o TikTok se popularizou e ganhou cada vez mais usuários que se fixaram pelas danças contagiantes que vão além da plataforma. Neste sentido, vários dos artigos de opinião do Targeted Victory eram compostos por links fazendo menções frequentemente negativas e sempre com o apoio de figuras notórias e influentes da comunidade norte-americana, incluindo políticos, até mesmo os democratas. 

Contudo, segundo o The Post, nenhuma das colunas divulgadas falou sobre a relação com a empresa financiada pelo Facebook. As investidas da rede social já chegaram ao Congresso Nacional, onde as críticas por parte dos parlamentares são intensivas, supostamente devido à detenção de um monopólio ilegal junto à indústria da mídia social. 

publicidade

Vale lembrar de uma audiência realizada no ano de 2020 que contou com a participação de CEOs de tecnologia, incluindo o próprio Mark Zuckerberg. Na ocasião, os legisladores apresentaram uma série de documentos internos sugerindo que o fundador do Facebook poderia entrar no “modo de destruição” caso o Instagram, que já fazia sucesso, se recusasse a ser vendido para a gigante da mídia social.

“Quando a plataforma dominante ameaça seus rivais em potencial, isso não deve ser uma prática comercial normal”, ponderou a deputada Pramila Jayapal na época. 

O que é a Targeted Victory?

A Targeted Victory é uma das principais fornecedoras de campanhas republicanas. No ano de 2020, a empresa teve um faturamento aproximado em US$ 230 milhões. Na época, os maiores clientes faziam parte de grupos como o PAC pró-Trump e America First Action. 

Os republicanos conquistam a fama de críticos ferrenhos contra o TikTok. Legisladores como o senador Marco Rubio, pressionaram a execução de uma investigação de censura contra a plataforma.

publicidade

Porém, o ex-presidente Donald Trump havia assinado uma ordem executiva para que o aplicativo fosse efetivamente banido. 

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar