Mercado Livre é notificado pelo Procon para esclarecer ataque hacker

O Mercado Livre foi notificado pelo Procon-SP e RJ devido ao vazamento de dados de 300 mil usuários do site e foi convocado para esclarecer uma série de perguntas sobre o tipo de informações que foram vazadas e que medidas foram tomadas para o incidente não se repetir.

publicidade
Mercado Livre foi notificado pelo Procon-SP para esclarecer ataque hacker
Imagem: Divulgação | Mercado Livre

O site confirmou o vazamento de dados na segunda-feira (7), em documento enviado aos investidores alegando que a empresa “ativou os protocolos de segurança” e está efetuando uma “análise exaustiva”

Já foi deixado claro que não há evidências de que “senhas, saldos de contas, investimentos, informações financeiras ou numerações de cartão de crédito”  foram vazados.

publicidade

O Procon-SP pede detalhes de quando o vazamento foi detectado, quais serviços e quantos clientes foram afetados. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

O ML também deve prestar informações sobre o número exato de dados que ainda estão estão comprometidos, quantas reclamações ocorreu e quanto atendimento precisou prestar aos consumidores.

O Procon-SP exige que as medidas de segurança técnica e administrativa previstas na LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) seja cumprida. 

publicidade

“A empresa deverá também esclarecer se tem um encarregado de dados nomeado e se realizou treinamento dos seus colaboradores sobre a aplicação da LGPD”, afirma o Procon-SP, em nota. 

Mercado Livre foi notificado pelo Procon-SP 

O Procon Carioca também notou que a marketplace não prestou nenhuma informação aos seus consumidores e que “tampouco divulgou nota à imprensa” sobre o ocorrido. “Dessa forma, não se sabe em que medida os dados dos consumidores foram afetados”, alega a entidade em comunicado.

Leonardo Gomes, gerente de fiscalização do Procon do Rio, esclareceu a decisão:

“Considerando que a plataforma do Mercado Livre é visitada diariamente por milhares de pessoas e com objetivo de apurar eventual violação aos direitos dos consumidores, o Procon Carioca instaurou averiguação preliminar e requisitou esclarecimentos.”

publicidade

As perguntas são parecidas com as feitas pelo órgão de São Paulo, mas o prazo dado à empresa para resposta é um pouco maior: até a próxima segunda-feira (14).

Grupo hacker Lapsus reivindica autoria do vazamento

O Mercado Livre pode não ter dado detalhes do ocorrido mas o grupo Lapsus reivindicou o ataque.

O mesmo grupo vazou informações do ConectSUS, Ministério da Saúde, Claro, Nvidia e Samsung fez uma enquete em seu canal do Telegram para os usuários decidirem qual seria a empresa a atacar no momento. E o ML venceu essa indigesta disputa.

Agora é esperar se algum resgate será pedido pelo grupo hacker em troca das informações, como ocorreu com as outras empresas envolvidas.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar