Ao unir forças entre agências, NASA forma novo grupo de pesquisa para decifrar Marte

Dezesseis cientistas dos Estados Unidos, Europa, Canadá e Japão foram escolhidos e reunidos pela NASA e seus parceiros para estudar futuras amostras de Marte, buscando indícios sobre todo o potencial do planeta vermelho.

Astronauta andando em região parecida com Marte (Imagem: Nicolas Lobos/Unsplash)
(Imagem: Nicolas Lobos/Unsplash)

Planeta Vermelho em análise

A iniciativa de pesquisa é um esforço da NASA e a ESA (Agência Espacial Europeia), parceiros no programa de retorno de amostras de Marte, estabeleceram um novo grupo de pesquisadores para maximizar o potencial científico das amostras de rochas e sedimentos do planeta vermelho chegarão à Terra para serem analisados.

Chamado “Campanha de Retorno de Amostras de Marte”, a ação conta com 16 pesquisadores usando recursos científicos nas equipes de projeto da campanha, bem como outros projetos terrestres relacionados à Terra, sobre recuperação e curadoria de amostras, por exemplo.

“Esses 16 indivíduos serão os porta-estandartes da ciência de retorno de amostras de Marte”, disse Michael Meyer, cientista-chefe do Programa de Exploração de Marte na sede da NASA em Washington.

A campanha promete revolucionar a compreensão da humanidade sobre Marte, trazendo amostras cientificamente selecionadas para nosso planeta visando estudos com os instrumentos mais sofisticados do mundo.

Expansão e estudos em todo o sistema solar

A campanha cumpriria um objetivo de exploração do sistema solar, com alta prioridade desde a década de 1970 e nas últimas três pesquisas Planetárias da Academia Nacional de Ciências, realizadas a cada dez anos.

Esta parceria estratégica da NASA e da ESA seria a primeira missão a coletar amostras de outro planeta e o primeiro lançamento feito a partir da superfície de outro planeta.

As amostras coletadas pelo rover “Perseverance Mars” da NASA durante a exploração de um antigo leito de lago apresentam a melhor oportunidade para revelar pistas sobre a evolução inicial de Marte, incluindo o potencial de vidas extintas.

Segundo a NASA, ao entender melhor a história de Marte, melhoraremos nossa compreensão de todos os planetas rochosos do sistema solar, incluindo à Terra.

“Eles (pesquisadores) vão construir o roteiro pelo qual a história é feita — incluindo os processos para a tomada de decisões relacionadas concepção de procedimentos que permitirão que a comunidade científica mundial se envolva com essas primeiras amostras de outro mundo”, afirma Michael Meyer.

A primeira reunião da Campanha de Retorno de Amostras de Marte está agendada para 28 a 29 de junho.

A NASA leva seu nome até Marte

Em fevereiro deste ano, o rover Perseverance pousou em Marte e levou com ele 10,9 milhões de nomes gravados em três microchips em uma placa dentro da espaçonave.

Em março de 2022, a NASA promoveu a campanha “Send Your Name to Mars” em que você, um cidadão da Terra, poderia colocar seu nome para transportarem até o Planeta Vermelho. O envio dos nomes da campanha está previsto para 2026.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

 

Veja mais ›
Fechar