O iPhone de outras pessoas pode estar te espionando

A manobra revelada por um usuário do TikTok pode facilitar a gravação de conversas com o dispositivo. Mas, cuidado: gravar conversas privadas sem autorização é crime. O fato é: o iPhone de outras pessoas pode estar te espionando.

publicidade
Mão segurando iPhone (Imagem: Bagus Hernawan/Unsplash)
Dispositivo pode ser tornar “arma” espiã (Imagem: Bagus Hernawan/Unsplash)

Maliciosidade ensinada no TikTok ajuda a transmitir conversas utilizando um iPhone

A ferramenta não é muito conhecida por usuários sem problemas auditivos. Sua criação foi em auxílio as pessoas com essa dificuldade, mas pode ser configurada para ampliar a sensibilidade na captura de sons, aumentando o poder de captura e transmissão ao vivo de conversas pessoais.

Esse é mais um exemplo de como tudo em tecnologia é apenas ferramenta. O uso, ético ou legal é uma escolha de cada um. O criador de conteúdo que ensinou o truque chama-se chillrogg

publicidade

Uma função que, ao colocar o telefone próximo ao falante, amplia o volume de captura e transmite para os fones melhorando a compreensão da pessoa deficiente, pode ser usado para escutar de forma oculta conversas e transmitidas em até 15 metros de distância para os fones de alguém mal-intencionado.

Apesar da forma irregular e deturpada de uso ter sido ensinada no TikTok, a função criada com objetivo nobre já está presente nos sistemas iOS desde 2018. O Live Listem acompanha os Apple AirPods e fones Beat.

iPhone espionando é uso criminoso do dispositivo

As pessoas podem controlar o Live Listen espionagem de qualquer pessoa escondendo o iPhone na mesma sala que a vítima ou deixando-o algum local próximo ao que estão sentados os participantes da conversa alvo.

Qualquer um que use a ferramenta pode ampliar o volume de captura do microfone no seu iPhone para espionar alguém, usando os AirPods. A função também funciona através do Apple Watch, tornando o dispositivo de captura mais discreto que um aparelho maior como o iPhone.

publicidade

Apesar de do possível o uso malicioso da função, a Apple nunca se manifestou publicamente sobre a possibilidade em seus dispositivos. Talvez agora, com um conhecido do TikTok ensinando o “hack” para o uso do app para um público gigante, a empresa queira se defender. 

Não é uma obrigação da Apple controlar de que forma seus recursos, criados de forma legítima para auxiliar o usuário com dificuldades, são de fato utilizados.

O crime que pode ser praticado com o mau uso é de inteira responsabilidade de quem o pratica, não da empresa que lançou a ferramenta. 

A culpa de uma facada no coração é de inteira responsabilidade de quem fez, não da empresa que construiu o utensílio para cortar a comida em pedaços menores para ajudar as pessoas a se alimentar mais facilmente, pense nisso.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Veja mais ›
Fechar