Os acessórios tecnológicos cuidarão de nossa saúde! Estudo prevê soluções com dispositivos

Dispositivos tecnológicos usados como acessório, chamados Wearables, são grandes aliados para a saúde humana. O projeto de Stephen Friend, que cofundou a organização sem fins lucrativos 4YouandMe, prevê o avanço dessa tecnologia.

publicidade
Estudo prevê soluções em saúde com o uso dos wearables (Imagem Pixabay)
Estudo prevê soluções em saúde com o uso dos wearables (Imagem Pixabay)

Para entender melhor como surgiu a ideia com wearables, Stephen Friend foi um funcionário que deixou a Apple em 2017. Ele se empenhou para que os dispositivos da empresa como Apple Watches e iPhones pudessem ajudar os usuários ter uma vida mais saudável.

Não é atoa que esses aparelhos coletam dados como frequência cardíaca e monitoramento do sono, por exemplo. Segundo reportagem da StatNews, além de fornecer as funções para os clientes, outro objetivo é detectar doenças e melhorar os resultados de saúde.

publicidade

Friend decidiu usar a ideia acreditando que contribuiria ainda mais para melhorar a qualidade de vida e identificar problemas de saúde, permitindo personalizar o atendimento e gerenciar melhor sua própria saúde.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

“Construímos esta organização para enfrentar questões de alto risco e desriscá-las para que outros possam seguir em frente. Não estamos tentando fazer um produto”, explicou.

Estudo usa a gravidez como testes dos dispositivos

O inventor também foi executivo da Merck e durante anos se empenhou em estudos para o tratamento de câncer. Posteriormente, voltou seus esforços de dados abertos para a Sage Bionetworks. O estudo sobre gravidez, por meio da 4YouandMe, acompanhou cerca de 1.000 gestações, colhendo centenas de dados de dispositivos, com relatórios regulares sobre sintomas como humor e fadiga.

publicidade

O ideia era provar que tantos dados podem ser coletados de forma confiável. Os pesquisadores podem usar alguns deles para descrever a experiência única de uma gravidez e como a mãe pode passar por mudanças e transformações em seu corpo.

Nomeado como Better Understanding the Metamorphosis of Pregnancy (BUMP), a análise também deseja descobrir a efetividade de métodos, prevendo possíveis complicações durante o processo e levar soluções tecnológicas.

Foco na gravidez com wearables

A companhia optou por iniciar os estudos em gestantes por serem um grupo que passa por diversas mudanças físicas e emocionais, proporcionando uma infinidade de dados importantes que contribuem para as análises. A co-CEO da Evidation Healt, Christine Lemke, que construiu o aplicativo de smartphone do estudo e é responsável para coleta de dados explica o motivo:

“Se esses tipos de sensores de nível de consumidor podem captar coisas na vida real, acho que este estudo os faz ou os quebra de várias maneiras. Para não colocar muita pressão na parte de trás deste estudo, mas se esses sensores não podem ser de-noised e contextualizados para captar algumas das mudanças radicais que acontecem na gravidez, para que servem?”

publicidade

As participantes do estudo BUMP vão contribuir anonimamente sobre suas atividades no Instagram, com o uso do telefone. Elas usarão um smartwatch Garmin e um smartring Oura, subirão diariamente em uma balança cardíaca Bodyport e responderão a perguntas frequentes sobre como estão se sentindo em um aplicativo de smartphone, além de entrevistas com a equipe de pesquisa.

 

“O foco da 4YouandMe, em como uma variedade de dados, contribui para a saúde de uma pessoa é uma evolução significativa. Acho que há muito barulho em uma única medida. Também acho que a fisiologia humana é complexa, e a maneira como eles estão capturando vários fluxos de dados diferentes é absolutamente a maneira como o campo precisa se mover”, declarou Jennifer Goldsack, CEO da Digital Medicine Society.

Diversas participantes do estudo deram seus depoimentos, e toda coleta de dados contribui ainda para as análises, como um dos feedbacks obtidos por uma das participantes, que relatou ser útil ter alguém fora de seu círculo de apoio familiar que pudesse conversar com ela e validar suas experiências, além de registrar os seus sintomas no aplicativo.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

 

Veja mais ›
Fechar