Revivendo a Guerra Fria em 2022: Rússia lança satélite militar secreto

Revivendo a Guerra Fria em 2022, a Rússia lançou um satélite militar secreto e deixou o restante do mundo apreensivo sobre as novas intenções de Putin. Já é a segunda missão espacial desde o início da invasão russa à Ucrânia.

publicidade
Modelo Meridian-M lançado anteriormente (Imagem: Supercluster.com/Divulgação)
Modelo Meridian-M lançado anteriormente (Imagem: Supercluster.com/Divulgação)

Rússia lança satélite militar secreto para ajudar nas comunicações

Essa é a afirmação do Governo russo sobre o novo lançamento, feito na última terça-feira (22), a partir do “cosmódromo de Plesetsk, na região noroeste da Rússia”. A informação é do jornal The Sun, em conformidade a declaração oficial do Governo Putin, publicada por uma das maiores agências de notícias da Rússia, a RIA Novosti:

“No vigésimo segundo de março (22/03), às 15:48, horário de Moscou, do lançador nº 3 do local nº 43 do cosmódromo de teste do estado de Plesetsk, a tripulação de combate das Forças Espaciais das Forças Aeroespaciais da Rússia lançou com sucesso o veículo de  classe média Soyuz-2.1a, com a espaçonave Meridian-M”.

publicidade

Os modelos de foguetes Soyuz já são conhecidos por, antes do conflito com a Ucrânia, levarem satélites da empresa britânica OneWeb ao espaço, nas operações para criação de uma rede global no entorno do planeta fornecendo conectividade via internet.

O Governo da Rússia fez alegações sobre as “espaçonaves/satélites” do modelo Meridian, focando como principal objetivo e função “fornecer comunicação entre navios e aeronaves de reconhecimento de gelo na área da Rota do Mar do Norte com estações costeiras e terrestres”, além de expandir as comunicações de forma geral na região próxima à Sibéria e no extremo oriente.

Foguete Soyuz em lançamento com satélite Meridian-M (Imagem: Ministério da Defesa da Federação Russa por RIA Novosti/Divulgação)
Foguete Soyuz em lançamento com satélite Meridian-M (Imagem: Ministério da Defesa da Federação Russa via RIA Novosti/Divulgação)

Após o início da guerra, este é o segundo lançamento russo ao espaço

O primeiro aconteceu há alguns dias, sendo noticiado aqui no Bit Magazine. No caso, três cosmonautas foram enviados a Estação Espacial Internacional. O fato curioso era a cor de seus uniformes, azul e amarelo, como as cores da bandeira ucraniana. Situação que gerou grandes discussões na internet sobre ser um suposto caso de “apoio a Ucrânia” por parte dos cosmonautas, fato desmentido pelo Kremlin.

publicidade

O rompimento da fabricante dos foguetes Soyuz, com a empresa OneWeb, levou a criação da parceria entre a SpaceX e a empresa britânica, segundo o Space.com. A aliança foi ocasionada pela incapacidade da organização em comprovar uma “garantia de que seus satélites não seriam usados para fins militares”.

Esse é mais um capítulo da nova “corrida espacial”, incentivada por uma guerra declarada e “quente”, ao contrário do que acontecia na Guerra Fria. É preciso muita cautela ao observar os passos de um governo com forte poder bélico guiado por decisões arbitrárias.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar