Kaspersky

Kaspersky deteta vulnerabilidade no Google Chrome

A Kaspersky detetou uma nova vulnerabilidade que é executada no navegador Google Chrome, conhecida como CVE-2019-13720, a mesma já foi reportada à Google. Após a análise do PoC fornecido, o Google confirmou que é uma vulnerabilidade “zero-day” e lançou um patch.

Kaspersky Lab descobre múltiplas vulnerabilidades em software corporativo

Os pesquisadores da ICS CERT da Kaspersky Lab encontraram diversas vulnerabilidades importantes no sistema de gerenciamento de licenças HASP (Hardware Against Software Piracy), amplamente usado em ambientes corporativos e de ICS para ativar softwares licenciados. O número de sistemas afetados pela tecnologia vulnerável em todo o mundo pode chegar a centenas de milhares.

Vítimas de ransomware podem recuperar seus dados sem pagar resgate

Em ação conjunta, Europol (a polícia nacional holandesa), Intel Security e Kaspersky Lab lançam a iniciativa No More Ransom (Chega de Resgates, em tradução livre), nova etapa na cooperação entre autoridades legais e setor privado para combater o ransomware. O projeto inclui portal com informações sobre os perigos deste tipo de ataque, além de ajudar vítimas a recuperar seus dados sem que precisem pagar resgates aos criminosos virtuais. São mais de 160 mil chaves disponíveis.

Kaspersky identifica alta de 14% em novos ataques de ransomware

A empresa de segurança da informação Kaspersky anuncia relatório de malware do 1º trimestre de 2016, realizado por seus especialistas. Ele mostra 2,9 mil novos ataques de ransomware durante o período, um acréscimo de 14% em relação ao ano anterior.

Estudo: desconfio que isto não é seguro mas… vou usar assim mesmo

A maioria dos internautas consideram que os canais de comunicação online não são fiáveis, mas ainda assim utilizam-nos regularmente, inclusive para discutir assuntos privados. Estas foram as conclusões de um estudo da Kaspersky Lab realizado em conjunto com a B2B International.

WhatsApp é canal de golpe brasileiro da ‘vídeo chamada’

O alerta é da Kaspersky Lab, empresa de segurança digital. Segundo ela, um dos recursos mais usados por criminosos para disseminar ataques em redes sociais e aplicativos populares é prometer funcionalidades que ainda não existem. Além disso, usa engenharia social para que os próprios usuários disseminem o golpe.

Como proteger a conta do Instagram

A rede social é apetecível. Quer por ser propriedade do Facebook mas sobretudo porque em seus curtos cinco anos de vida o Instagram já conta com mais de 400 milhões de usuários ativos por mês. E com uma média de 80 milhões de fotos partilhadas por dia. O que gera mais de 3500 milhões de “likes”. Resumo: um petisco para os hackers.

Banca móvel entra pela primeira vez no Top 10 das ameaças

Em 2015, o ransomware alargou-se a novas plataformas. Um em cada seis ataques (17%) de ransomware envolve agora dispositivos Android. Por outro lado, dois terços (67,7%) dos computadores, discos rígidos ou meios extraíveis continham pelo menos um objeto malicioso, acima dos 58,7% de 2014.

Kaspersky acusado de sabotar a AVG

Segundo a Reuters, Eugene Kaspersky, líder da empresa de cibersegurança com o mesmo nome, terá instado seus colaboradores para atacarem sua rival AVG.

Brasil é um dos campeões mundiais de spam

Um novo levantamento da Kaspersky Lab apontou que o advento de novos domínios, com extensões específicas como .guru, .work ou . science, está servindo como oportunidade para propagação maciça de spam. De acordo com a empresa especializada em segurança, as novas extensões de domínio logo começaram a enviar spam publicitário, mensagens maliciosas e e-mails de

Kaspersky é alvo de ataque hacker de elite

A Kaspersky Lab foi alvo de um ataque de alto nível, que conseguiu ficar oculto dentro das redes da empresa por meses. Descoberto pelos pesquisadores da companhia, o malware foi descoberto em um dos testes internos de segurança. O malware, uma evolução do vírus denominado Duqu, pode ter sido originado quando um funcionário de um

Criminosos digitais usam credenciais da Microsoft como isca

A Kaspersky Lab emitiu um alerta de segurança a respeito de um novo golpe, em que o Windows Live ID, o sistema de autenticação segura da Microsoft, é utilizado como isca para obter informações pessoais. O Windows Live ID é crucial para acessar serviços como Xbox LIVE, Zune, Hotmail, Outlook, MSN, Messenger e OneDrive. De

24% das pessoas perderam cópias de segurança dos seus dados

Um estudo da Kaspersky Lab, feito em conjunto com a B2B International, concluiu que aproximadamente um quarto dos usuários (24%) que mantinha cópias de segurança dos seus dados em dispositivos físicos perdeu tais informações. O estudo releva que, embora a vasta maioria (92%) dos entrevistados mantenha informações confidenciais — como correspondência privada, fotos, senhas ou