Grindr vai abrir capital por valor bilionário

Provavelmente você já ouviu falar do Grindr, o maior aplicativo de encontros voltado para o público LGBTQIA+ do mundo. A equipe da rede social anunciou que vai abrir capital e entrar na Bolsa de Valores. A operação foi avaliada inicialmente em US $2,1 bilhões, algo em torno de R$10 bilhões.

publicidade
Grindr vai abrir capital
Grindr vai entrar na bolsa de valores em oferta pública (Imagem: Ruben Sukatendel on Unsplash)

O capital vai ser aberto através de uma fusão com uma Sociedade de Propósito Específico (SPAC) chamada Tiga Acquisition e o fundador da Tiga, G. Raymond Zage III, já esteve envolvido com o consórcio de investidores que em 2020 adquiriu o Grindr da Kunlun Tech.

Como funciona a SPAC

A SPAC, também chamada “empresa de cheque em branco, geralmente funciona da seguinte maneira: ela vende ações na bolsa de valores e coloca o dinheiro arrecadado em uma conta fiduciária que por sua vez serve de garantia para comprar uma outra companhia.

publicidade

Essa é uma opção menos arriscada para a Grindr de entrar na bolsa, principalmente depois dos escândalos sobre vazamento de dados que certamente diminuiria o interesse de possíveis investidores colocando em risco o valor total das suas ações.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Para aqueles  que não conhecem o termo, abrir capital se refere à ação de ir a público para vender suas ações, também chamada IPO (Oferta Pública Inicial). Basta lembrar que recentemente o Nubank fez a mesma coisa, só que sem a intermediação de terceiros, como foi o caso da Grindr.

O que vai mudar no Grindr

A medida tomada pela Grindr vem apenas dois anos depois de ter sido vendido pela Beijing Kunlun Tec por cerca de US$ 608,5 milhões após complicações jurídicas com um painel do governo norte-americano que temia sobre o fato de as informações de mais de 25 milhões de usuários estarem nas mãos de uma empresa chinesa.

publicidade

Agora, mais uma vez, o painel denominado Comitê de Investimento Estrangeiro nos Estados Unidos (CFIUS) se torna o fator decisivo para o futuro do aplicativo, que espera sua permissão para prosseguir com o acordo.

Hoje, a plataforma tem uma média de 11 milhões de usuários mensalmente e seus planos envolvem a arrecadação de US$ 384 milhões – algo bem próximo aos R$ 2 bilhões, que devem ser investidos na atração e retenção de usuários para a rede social implementando novas ferramentas de monetização e fazendo um upgrade geral na sua infraestrutura.

Temos uma marca global presente em quase todas as partes na comunidade a que servimos, um tamanho impressionante, uma taxa de interação dos nossos usuários e uma margem operacional entre as melhores do setor, e iniciamos recentemente nosso percurso em termos de monetização e crescimento“, destacou Jeff Bonforte, CEO do Grindr, citado em comunicado.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Veja mais ›
Fechar