Bitcoin tem alta valorização após ataques na Ucrânia

O Bitcoin registrou a maior alta em um ano disparando de US$38 mil para US$44 mil pela primeira vez em 15 dias, ignorando a sequência de conflitos entre Rússia e Ucrânia.

publicidade

 O salto fez o ativo digital se distanciar das bolsas mundiais, especialmente da Nasdaq, com a qual vinha tendo alto índice comparativo desde o segundo semestre do ano passado.

Bitcoin segue em alta mesmo com novos ataques na Ucrânia
Imagem: Pixabay

O aumento do Bitcoin começou no início da tarde de segunda (1° de março), quando o preço da criptomoeda passou dos US$40 mil à medida em que investidores digeriram as sanções impostas à Rússia, como o banimento parcial do Swift.

publicidade

Nessa corrida, a criptomoeda também superou o ouro, que registrou alta de 1,16% nesta terça e foi a US$1.923,20 a onça. 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Russos recorrem ao Bitcoin para preservar patrimônio

A Ucrânia tem o maior percentual de habitantes que utilizam criptomoedas (com 12,73%), seguida da Rússia (com 11,91% de habitantes), de acordo com uma a consultoria Tripple A.

Com as medidas impostas pelos Estados Unidos e pela Europa, russos correram para comprar Bitcoin como meio de preservar suas economias da queda sofrida pelo rublo.

publicidade

Segundo dados do provedor de pesquisa em criptomoedas Kaiko, o volume de Bitcoin designado em rublo já atingia o maior nível desde maio na semana passada.

A negociação do Tether (USDT) segue na mesma direção, batendo recorde de oito meses. O USDT tem o preço pareado ao dólar de um para um e é a maior stablecoin do mundo.

Stablecoin tem seu preço atrelado a outro ativo estável, podendo ser dólar, como é o caso do Tether e até ouro.

Bitcoin segue em alta mesmo com novos ataques na Ucrânia
Imagem: Pixabay
publicidade

Enquanto isso, na Ucrânia, o governo e ONGs estão recebendo doações em criptomoedas para financiar a resistência do país à invasão russa.

Até o momento, o país recebeu mais de US$20 milgões em criptomoedas, sendo quase metade vinda da Binance, onde uma carteira de Bitcoin sozinha doou US$3 milhões.

Criptomoedas têm alta junto ao Bitcoin

O aumento de preço do Bitcoin fez o valor geral dos criptoativos se aproximar de US$2 trilhões e todos os ativos do top 100 apresentaram alta com exceção do Leo Token (LEO).

O maior destaque fica para a Waves (WAVES) rival do Ethereum (ETH) que disparou 40% nesta terça-feira e um total de 96% em uma semana, visto que seu rival é de origem russa.

Outros destaques são a THORChain (RUNE), com um aumento de 35% e a Terra (LUNA), com 26% no dia. 

Com o crescimento, o token LUNA supera a Cardano (ADA) e Solana (ADA) e se torna o sétimo mais valioso do mundo.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar