Por que esse novo míssil da Rússia ameaça o mundo?

Segundo informações do presidente da Rússia, Vladimir Putin, os testes realizados pelo governo usando um míssil balístico intercontinental obtiveram sucesso. Denominado ‘Sarmat’, a arma tem o poder de fortalecer o poder de combate do país, o que se tornará um risco para todo o mundo considerando as atitudes recentes. 

publicidade
Por que esse novo míssil da Rússia ameaça o mundo?
Por que esse novo míssil da Rússia ameaça o mundo? (Imagem: Russian Defence Ministry/AFP)

Putin disse que este novo míssil será capaz de garantir, de modo confiável, a segurança da Rússia contra ameaças externas. Assim, qualquer um que cogitar atacar o país, pensará duas vezes antes de tomar qualquer iniciativa. O

míssil em questão foi disparado durante a fase de testes, de Plesetsk, situado na região noroeste da Rússia, conseguindo atingir Kamchatka, a quase seis mil quilômetros de distância. 

publicidade

“O novo complexo tem as mais altas características táticas e técnicas e é capaz de superar todos os meios modernos de defesa antimísseis. Não tem análogos no mundo e não terá por muito tempo”, declarou Putin.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, o Sarmat é o míssil com o alcance de destruição de alvos mais poderoso de todo o mundo, aumentando significativamente o poder de combate das forças nucleares estratégicas da Rússia.

Sua estimativa de alcance é de 18 mil quilômetros, possibilitando que qualquer alvo seja atingido a partir de um lançamento feito no país. 

Ele também é capaz de transportar, aproximadamente, 10 ogivas nucleares independentes, tornando os esforços de defesa antimísseis praticamente impossíveis de identificá-lo e interceptá-lo.

publicidade

Além disso, o Sarmat também poderá transportar chamarizes com o propósito de enganar os mísseis interceptores disparados contra ele. 

Entretanto, a capacidade de transportar as ogivas independentes, conhecidas como vários veículos de reentrada com alvos independentes (MIRVs) não é uma característica exclusiva do Sarmat ou da Rússia.

A princípio, os Estados Unidos da América (EUA), Reino Unido, França e China já possuem mísseis com essa tecnologia há décadas. 

Impactos do míssil da Rússia no mundo

O míssil Smart começou a ser desenvolvido há várias décadas, apesar da existência dele ter sido mencionada por Putin apenas em 2018 durante um discurso. Esta é uma das seis armas fabricadas pelo governo russo. Outra delas é o veículo de deslizamento hipersônico Avangard (HGV). 

publicidade

É importante explicar que um HGV é o tipo de arma hipersônica com capacidade de se mover cinco vezes a mais em relação à velocidade do som. Outro modelo principal de arma hipersônica que compõem o arsenal principal da Rússia é o míssil de cruzeiro hipersônico. 

O risco pode ser explicado pelo fato de que, apesar de os mísseis balísticos normais também atingirem altas velocidades, a capacidade de manobra é limitada após ele retornar para a atmosfera.

Por outro lado, armas hipersônicas, sejam mísseis de cruzeiro ou veículos planadores, conseguem fazer manobras na atmosfera, dificultando que sejam rastreadas por radares inimigos e derrubadas.

Analistas acreditam que o Sarmat entrará para a lista das principais plataformas de lançamento do Avangard. Para quem não sabe, o Avangard é lançado da mesma maneira como um míssil balístico tradicional que, em vez de seguir um arco acima da atmosfera, o veículo de reencontrada é posicionado em uma trajetória que possibilita a entrada na atmosfera da Terra com rapidez – antes de planar sem energia, por centenas ou milhares de quilômetros.

No ano de 2018, Putin afirmou que Avangard tinha uma velocidade de Mach 20, o equivalente a 20 vezes a velocidade do som. Na análise feita por estudiosos, o Avangard tem um alcance de, aproximadamente, seis mil km e acreditam que pode implantar uma carga nuclear.

Outros acreditam que um único Sarmat teria o poder de implantar cerca de três a cinco veículos Avangard.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar