PIX bate novo recorde de transações em um só dia

O PIX bate um novo recorde e continua a crescer. Marcos recentes mostram como as transferências instantâneas são populares entre os brasileiros.

publicidade
Pix bate novo recorde e chega a quase 60 milhões de transações em um dia
Pix bate novo recorde e chega a quase 60 milhões de transações em um dia. Imagem: Reprodução

No último dia 6 de abril, a ferramenta do Banco Central bateu novamente o recorde diário de transações: foram quase 60 milhões de transferências registradas (mais exatamente 59.981.242) em apenas 24 horas.

Esse número supera o recorde anterior, que não é tão antigo. Em 1º de abril de 2022, foram feitas 57.877.688 transferências.

publicidade

No entanto, o novo recorde não foi suficiente para superar o maior volume de transações financeiras em um único dia. Em 20 de dezembro de 2021, o PIX já era responsável por um total de R$ 36,8 bilhões em transferências. Agora, neste dia de recorde, foram “apenas” R$ 32,9 bilhões.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Pix bate novo recorde e supera cartões de crédito e débito

Outro dado importante para entender sobre o tamanho do PIX é a participação que conquistou nos pagamentos.

Isso o coloca acima dos cartões de débito e crédito. Os cartões de débito ficaram em segundo lugar com 20,38%. Os cartões de crédito ficaram em terceiro lugar, com 19,73%.

publicidade

O PIX está crescendo muito rápido. No terceiro trimestre do ano passado, ele já corresponde a 17,15% das transações.

Durante o mesmo período, os cartões de débito e crédito tiveram uma queda cautelosa. As proporções no trimestre anterior foram de 20,87% e 19,76%, praticamente as mesmas do trimestre anterior.

O que também parece ceder muito espaço para o Pix é o boleto. Caiu de 13,42% para 11,81%.

Outros meios de pagamento também reduziram sua participação no total: débitos diretos, saques, TED, transferências intrabancárias, DOC e cheques tiveram percentuais menores.

publicidade

Além do PIX, a única maneira de crescer foi com os cartões pré-pagos, que passaram de 9,47% para 10,17%.

PIX “rouba” 1,5 bilhão de reais de grandes bancos em 2021

O Pix bate novo recorde quase sempre, e há muito tempo: no ano passado, o PIX faturou R$ 1,5 bilhão dos maiores bancos listados na B3 – Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander.

Mesmo com esse impacto, as quatro empresas viram sua receita de serviços crescer para R$ 122 bilhões . Segundo estatísticas do BC, em janeiro deste ano, foram feitas 1,3 bilhão de transações por meio do PIX. Isso é mais de seis vezes o total para o mesmo mês em 2021.

Antes das ferramentas do Banco Central, as opções de transferência mais abrangentes eram o TED (onde o valor era transferido para a conta do beneficiário no mesmo dia) e o DOC, onde o crédito ocorria no dia seguinte.

Ambas as transferências são pagas, mas frequentemente os pacotes de serviços de conta bancária (pagos) incluem várias transferências gratuitas por mês.

Para evitar a erosão da base de receita, os bancos precisam mudar a forma como monetizam cada cliente. O movimento é o mesmo que as instituições precisam fazer quando enfrentam a concorrência das fintechs.

O que você achou? Siga @bitmagazineoficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Veja mais ›
Fechar